Economia
 
Roberto Padovani
Roberto Padovani
Roberto Padovani
 

“É difícil separar política e economia”
Roberto Padovani – Economista-chefe do Banco Votorantim

 
13/08/2018
 



Roberto Padovani é formado em Administração pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e em Economia, pela Universidade de São Paulo (USP). Fez mestrado em Economia, na FGV. É economista do banco Votorantim desde 2011 (atuando agora como economista-chefe). Atuou como estrategista para a América Latina do banco WestLB por cinco anos e foi sócio da Tendências Consultoria Integrada por dez anos. Também atuou como assessor do secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda e acompanhou de perto a elaboração e implementação do Plano Real, em 1994. “Há várias preocupações, mas três em particular precisam ser acompanhadas com atenção. A primeira é o fato de a euforia nos mercados poder ter produzido bolhas. Após quase uma década de intensos estímulos monetários, é possível que haja exageros. Neste caso, um segundo ponto de atenção é a alta de juros nos Estados Unidos e a redução da liquidez, que podem gerar turbulências importantes. Neste ambiente, finalmente, há uma volatilidade geopolítica inédita: sem lideranças globais capazes de coordenar conflitos, as incertezas têm se elevado de modo importante. (...) No curto prazo, o país precisa controlar a dívida pública e resgatar sua classificação de grau de investimento. A médio prazo, é preciso uma economia robusta e que gere negócios”, afirma o renomado economista.