Artes
 
Artur Barrio
Artur Barrio
Artur Barrio
 

“No campo das artes não existem fronteiras”
Artur Barrio – Artista plástico

 
22/04/2019
 



Artur Alípio Barrio de Sousa Lopes passou a viver no Rio de Janeiro em 1955. Começou a se dedicar à pintura em 1965. A partir de 1967 frequentou a Escola Nacional de Belas Artes - Enba. Nesse período, realiza os cadernos livres, com registros e anotações que se afastam das linguagens tradicionais. Em 1969, começa a criar as "Situações": trabalhos de grande impacto, realizados com materiais orgânicos como lixo, papel higiênico, detritos humanos e carne putrefata (como as "Trouxas Ensanguentadas"), com os quais realiza intervenções no espaço urbano. No mesmo ano, escreve um manifesto no qual contesta as categorias tradicionais da arte, sua relação com o mercado, e a situação social e política na América Latina. Em 1970, na mostra "Do Corpo à Terra", espalha as “Trouxas Ensanguentadas” em um rio em Belo Horizonte. Barrio documenta essas situações com o uso de fotografia, cadernos de artista e filmes Super-8. Cria também instalações e esculturas, nas quais emprega objetos cotidianos. Realiza constantes viagens, e reside também na África e na Europa - em Portugal, na França e na Holanda. Desde a metade da década de 1990, ocorrem várias publicações e exposições que procuram recuperar sua obra. “O público é muito estranho e depois de uma longa experiência cheguei à conclusão de que pelo menos em relação ao meu trabalho não são “cocriadores silenciosos“ e muito menos barulhentos", afirma.