Artes
 
Panmela Castro
Panmela Castro
Panmela Castro
 

“Minhas pinturas emergem de longas transformações”
Panmela Castro – Fundadora da rede feminista NAMI

 
03/04/2013
 



Conhecida artisticamente como Anarkia Boladona, a grafiteira Panmela Castro é nascida e criada no subúrbio do Rio de Janeiro. Formou-se na Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro, mas sua arte tem influência da pichação, nicho underground habitualmente dominado por homens. Seu trabalho é pensado para provocar e polemizar através do processo artístico de convivência com a rua, e com as verdades instituídas por nossa sociedade patriarcal, em especial em relação ao corpo feminino, à sexualidade, à subjetividade, analisando as relações de poder. Em 2012 foi homenageada pela Diller Von Furstenberg Family Foundation com o DVF Awards da famosa estilista Diane Von Furstenberg junto de outras mulheres como Oprah Winfrey, além de ter entrado para lista da revista Newsweek como uma das 150 mulheres que estão "bombando" no mundo. "Para uma menina da Penha sem muita perspectiva para o futuro, conquistar o mundo através de minhas pinturas já foi muito! Mas sei que ainda há muito mais por vir. (...) Não me lembro de ter algum dia ligado a palavra “chocar” ao meu trabalho. Acho que faz parte do processo da arte deixar livre o observador para assimilar a obra. A arte deve fazer o que o autor propor e o público entender considerando suas experiências interiores. (...) Hoje apenas pinto muros autorizados e por isso estou me achando super careta", afirma a grafiteira.