Pensamento
 
Sylvia Loeb
Sylvia Loeb
Sylvia Loeb
 

“O amor é cheio de tropeços”
Sylvia Loeb – Escritora e psicanalista

 
06/10/2017
 



Sylvia Loeb é psicóloga formada pela PUC-SP e psicanalista pelo Instituto Sedes Sapientiae. Entre outras atividades como psicanalista, atendeu na Escola Paulista de Medicina, atuou junto ao Grupo Biruta de Artes Cênicas (Projeto Quixote), e trabalhou em comunidades de baixa renda. Dedica-se atualmente ao atendimento clínico e supervisão. São dela “Contos do divã – pulsão de morte e outras histórias” (contos, Ateliê Editorial, 2007), “Amores e Tropeços” (contos, Editora Terceiro Nome, 2010), "Heitor" (contos, Editora Terceiro Nome, 2012) e “Homens” (contos, Oficina de Conteúdo, 2017). “Freud [Sigmund Freud, médico neurologista criador da psicanálise. Freud nasceu em uma família judaica, em Freiberg in Mähren, na época pertencente ao Império Austríaco, 1856 – 1939] usava a palavra alma para falar em psique, para falar do inconsciente. Se não prestarmos atenção a essa outra instância que nos habita, o sofrimento pode ser imenso, pois o inconsciente fala de outro lado nosso, tão real quanto o que conhecemos. E muitas vezes um lado entra em conflito com o outro. Cabe à consciência tentar entender qual o recado que vem do outro lado para tentar um apaziguamento. Não adianta não ouvir, só piora a situação: sintomas físicos, nervosismo, irritação, brigas sem motivação, até desastres de carro, ou mesmo acidentes que machucam o próprio corpo são modos extremos do inconsciente se manifestar”, afirma.