Entrevista publicada em 11 de outubro de 2017 por Eder Fonseca em Negócios
 
 

“Clientes buscam parceiros dignos e confiáveis”
Abilio Franco – COO da Contech

Abilio Franco

Graduado em Pedagogia, pela Universidade de Filosofia (Fafit), e em Desenvolvimento Gerencial, pela PUC-Curitiba, Abilio Franco é especialista em Papel e Celulose, pelo Centro Técnico de Celulose e Papel. Ele traçou sua carreira profissional em grandes empresas nacionais e internacionais do setor, onde ocupou altos cargos executivos. Atualmente é o diretor-geral de operações (COO) da Contech, empresa 100% nacional, líder de mercado no segmento de tratamento de vestimentas de papel e celulose. A Contech é conhecida por sua atuação no desenvolvimento de soluções de sistemas patenteados e customizados, que são aplicadas em todo segmento, incluindo papeis de imprimir e escrever, papeis tissue, papeis para embalagens, papeis especiais, e na fabricação de celulose. O profissional é responsável também pela criação de políticas e estratégias operacionais e comunicação estratégica, alinhadas aos objetivos e metas da empresa. “Não tinha ideia da proporção em que a Contech está envolvida dentro do mercado como líder de um conceito de aplicação química. Uma empresa sólida com um potencial enorme de crescimento. Um desafio que impulsiona qualquer profissional empreendedor”, afirma o executivo.

 

Abilio, você é graduado em Pedagogia pela Universidade de Filosofia (Fafit). Em que a Pedagogia ajuda no dia a dia do mundo empresarial?

Ser um pedagogo não foi uma definição e sim uma necessidade de uma graduação, para poder crescer profissionalmente, porém o diferencial é justamente o relacionamento interpessoal, que ajuda muito no gerenciamento de pessoas. As fábricas de papel e celulose nem sempre estão em grandes cidades e assim as dificuldades para se fazer uma boa universidade fica limitada, motivo pelo qual foi uma opção em função da disponibilidade na época.

 

Como se encontra o setor de papel e celulose neste momento de crise em nosso país?

Como todos os setores no mercado, encontra-se aguardando a retomada da economia, com exceção do setor de celulose que está em amplo crescimento devido à alta exportação de celulose fibra curta de eucaliptos.

 

No começo de 2016, especialistas diziam que o setor de papel e celulose deveria viver um ano de cautela. Como avalia 2017 até o momento?

Com certeza temos um 2017 com cautela, porém preparando para uma retomada também cautelosa com expectativas de uma melhoria gradual durante os próximos 2 anos.

 

Quais estão sendo as principais dificuldades para quem opera neste importante setor da economia nacional?

Como já citado, todos aguardando uma melhor estabilidade econômica e consequentemente afeta diretamente novas negociações e possíveis atualizações de preço. Redução de consumo afeta diretamente a produção de papel para qualquer seguimento dentro do mercado papeleiro.

 

Como tem visto a atuação do Governo com relação a investimentos e mudanças estruturais que possibilitem que o setor venha crescer nos próximos anos?

Devido a todos os eventos ocorridos, como: Impeachment, corrupção, etc, os investimentos estão limitados e ninguém quer arriscar.

 

Até 2020, a capacidade produtiva de papel e celulose da América Latina deve ser amplamente elevada. O que isso resultará em termos econômicos para a região?

Baseado nisto, devemos ser inteligentes para preparar para a retomada. Uma visão estratégica do mercado é de extrema importância.
ABTCP 2013

Inovação: Contech expondo cases durante a ABTCP 2013 (Foto: Divulgação/AP)

 

Antes de se tornar diretor da Contech, o senhor trabalhou em diversas empresas. O que lhe surpreendeu de forma positiva assim que se tornou diretor e que não imaginava quando estava “do lado de fora” da organização?

Não tinha ideia da proporção em que a Contech está envolvida dentro do mercado como líder de um conceito de aplicação química. Uma empresa sólida com um potencial enorme de crescimento. Um desafio que impulsiona qualquer profissional empreendedor.

 

O seu grande desafio na Contech é aumentar a participação da companhia, tanto na América Latina, como na Europa, Ásia, EUA e Canadá. Como tem se saído nesta tarefa em sua autoanálise?

Minha autoanálise é fácil. Sou movido a desafios e este é um que realmente requer um trabalho grande, porém com perspectivas promissoras. Porém, sem esquecer que o momento é de cautela e inteligência para preparar a empresa para o crescimento. Obs: Clientes buscam parceiros dignos e confiáveis.

 

Quais são os principais desafios de se dirigir uma empresa que têm ambições globais como a Contech?

Foco e comprometimento para garantir que os desafios sejam atingidos.

 

Uma das suas funções é alinhar a comunicação estratégica aos objetivos e metas da empresa. O que não pode faltar de forma alguma em uma comunicação estratégica que visa esse resultado?

Comunicação estratégica já fala por si só, portanto o desafio de ter o comprometimento do grupo todo garantirá o resultado futuro.

 

Como pretende manter a Contech valorizada, diferenciada e inovadora no mercado de tratamento de vestimentas de papel e celulose?

Sua valorização se dá com e se faz diferenciada a partir do momento que ganhar a confiança de seus clientes.



Patrocinado por
Sapato Site



Eder Fonseca

 
Diretor executivo e editor do portal Panorama Mercantil.