Entrevista publicada em 5 de setembro de 2018 por Eder Fonseca em Economia
 
 

“Conhecer o mercado é um diferencial”
Ricardo Oliveira – Gerente da Área de Legalização da King Contabilidade

Ricardo Oliveira

Ricardo Oliveira é gerente da Área de Legalização da King Contabilidade. Ele analisa os pontos da abertura de empresas físicas e e-commerces num momento delicado para o nosso país. Entre outros assuntos de suma importância, o experiente contador afirma: “Escalonamento do produto/serviço, plano de negócios e localização são alguns pontos que devem ser observados a fim de se evitar os principais erros cometidos pelos empresários na decisão de abrir um negócio. Muitas vezes, o produto/serviço que o empresário têm a oferecer atende uma necessidade pontual do público em geral ou não tem público necessário para escalar tal produto/serviço no mercado, com isso o empresário não evolui ou não desenvolve o seu negócio, ficando refém de um único produto/serviço. Já em relação ao plano de negócios, esse passou a ser uma das ferramentas de maior impacto na vida do empresário atual, pois é preciso conhecer o seu público (consumidor, fornecedor, concorrente e indireto), definir preço, conhecer a legislação vigente, o valor entregado pelo seu produto/serviço e definir a localização física. E, por fim, a escolha do local para realizar a atividade e o detalhamento do objeto social devem levar em consideração no processo de abertura de empresas. (…) Conhecer bem o seu mercado é um diferencial prático do empresário, pois poderá se destacar dos seus concorrentes que visam somente a questão financeira”.

 

Ricardo, quais são os principais erros dos empresários quando vão abrir um novo negócio?

Escalonamento do produto/serviço, plano de negócios e localização são alguns pontos que devem ser observados a fim de se evitar os principais erros cometidos pelos empresários na decisão de abrir um negócio. Muitas vezes, o produto/serviço que o empresário têm a oferecer atende uma necessidade pontual do público em geral ou não tem público necessário para escalar tal produto/serviço no mercado, com isso o empresário não evolui ou não desenvolve o seu negócio, ficando refém de um único produto/serviço. Já em relação ao plano de negócios, esse passou a ser uma das ferramentas de maior impacto na vida do empresário atual, pois é preciso conhecer o seu público (consumidor, fornecedor, concorrente e indireto), definir preço, conhecer a legislação vigente, o valor entregado pelo seu produto/serviço e definir a localização física. E, por fim, a escolha do local para realizar a atividade e o detalhamento do objeto social devem levar em consideração no processo de abertura de empresas.

 

Qual seria o exemplo mais concreto?

Em São Paulo, por exemplo, a partir de Maio/2017, a Prefeitura do Município de São Paulo (“PMSP”) apresentou um novo sistema para inscrição de empresas, o “Registro e Licenciamento de Empresas” (“RLE”). Com isso, a PMSP previamente permite o prosseguimento do processo de abertura ou não após realizar em seus bancos de dados o cruzamento das informações sobre Local X Atividade X Regularidade do imóvel. Caso exista a negativa, o processo de abertura de empresa não prospera até a resolução, se houver, da questão impeditiva.

 

Nesse período de turbulência econômica, esses erros ficaram maiores?

Em aspectos gerais sim, pois os ânimos dos empresários ficam mais instáveis e a urgência em buscar novas receitas ou formas de sobrevivência fazem com que os empresários se esqueçam de algumas das etapas dos processos/procedimentos de constituição de empresas. Nestes casos, o auxílio de um profissional contábil faz uma grande diferença, pois os passos serão seguidos e ordenados, além da realização de análises criteriosas de questões que exigem maior atenção.

 

Em que momento o planejamento estratégico se torna preponderante para uma boa execução?

Para empresas em fase de constituição, o planejamento estratégico e a análise tributária são ferramentas essenciais para o bom desenvolvimento do novo negócio. Com isso, reforçamos a necessidade do novo empresário procurar um profissional de contabilidade qualificado para auxiliá-lo na análise tributária, uma vez que está iniciando uma nova fase em sua vida profissional e as legislações vigentes têm particularidades em função da atividade a ser desenvolvida, afetando diretamente a tributação e o dia a dia desta nova empresa.

 

Os e-commerces devem tomar o mesmo cuidado que as lojas físicas?

Sim, independentemente de operarem em uma plataforma digital, os e-commerce devem seguir as determinações aplicáveis às lojas físicas, especificamente no que se refere às legislações estaduais e municipais.

 

Os negócios que giram em torno da web, crescem mais do que os negócios físicos em momentos como esse?

Temos acompanhando um aumento significativo nas operações através de plataformas digitais, tanto para comercialização de produtos quanto para a prestação de serviços, pois a tecnologia está modificando as relações comerciais e de serviços auxiliando na conexão entre consumidores e fornecedores, criando assim um novo ciclo de negócios que fomenta o mercado.
O experiente contador

Análises: O contador Ricardo Oliveira da King Contabilidade (Foto: Divulgação/AP)

 

Quais são os dados mais recentes?

Conforme dados divulgados na 38º relatório Webshoppers, pela empresa de pesquisa de mercado EBit/Nielsen, as vendas no mercado eletrônico no primeiro semestre de 2018 obtiveram um crescimento de 12,1% em referência ao mesmo período do ano de 2017.

 

A King tem acompanhado esse movimento?

Sim, desde 2017 estamos divulgando matérias e ministrando palestras aos nossos clientes em referência ao mercado eletrônico e suas particularidades. Por exemplo, em Setembro de 2017 um dos diretores da Centauro compareceu a uma palestra em nossa sede para esclarecer dúvidas e desmistificar o comércio eletrônico para os nossos clientes e convidados, apresentando a este público o outro lado do “balcão” eletrônico. A visão dele, como empresário atuante e com destaque neste segmento, facilitou o entendimento dos nossos clientes neste mercado. Consequentemente, atraiu um número significativo dos nossos clientes presentes que, após esta palestra, optaram por atuar também neste segmento.

 

Conhecer o mercado ou a legislação, o que você considera ser fundamental para a abertura de novos negócios em sua visão como contador?

O conhecimento de ambos os temas são essenciais para o empresário na constituição de sua empresa ou em sua vida empresarial. Conhecer bem o seu mercado é um diferencial prático do empresário, pois poderá se destacar dos seus concorrentes que visam somente a questão financeira e não agregam valor ao produto final. Já o conhecimento básico da legislação vigente aplicável à sua atividade é uma vantagem competitiva e qualificada e, neste item, ter um profissional de contabilidade proativo e atualizado agrega valor à empresa, pois auxilia o empresário na definição da tributação mais assertiva, dando-lhe assim, um diferencial técnico e permanente na condução de seus negócios.

 

As empresas que atende, estão tendo um bom êxito no conhecimento de ambos aspectos?

Sim, os nossos clientes estão atualizados em seu mercado de atuação, o que facilita a nossa comunicação referente às legislações aplicáveis em suas áreas. Com isso, eles têm atravessado esses últimos anos de turbulências com menor impacto negativo em seus números, mantendo-se saudáveis, apesar de alguns percalços inevitáveis diante do nosso atual cenário econômico.

Um vídeo da King Contabilidade

Patrocinado por
Sapato Site




Imprimir

Eder Fonseca

 
Diretor executivo e editor do Panorama Mercantil.