Entrevista publicada em 30/11/2016 por Eder Fonseca em Negócios
 
 

“O Estado é um mal necessário”
Tallis Gomes – Fundador e CEO da Singu

Tallis Gomes

O jovem empresário Tallis Gomes fundou a Easy Taxi em 2011. Após quatro anos à frente de um dos maiores aplicativos de táxi do mundo, o empreendedor resolveu deixar o comando da empresa e procurar novas oportunidades de negócio. O ano de sua saída, 2015, foi dedicado para criar projetos. Gomes começou o ano inaugurando a eGenius Founders, sua própria “fábrica de startups”. Dela saiu o mais novo projeto chefiado pelo empreendedor: a Singu (que vem da palavra “singular”), que tem a proposta de levar profissionais de beleza até seus consumidores, por meio do agendamento online. Alguns serviços são manicure, maquiagem, massagem e penteados. O aplicativo foi lançado em junho do mesmo ano (2015). “Não sei se o termo “culpada” seria o que eu usaria para abordar este tema. A mídia funciona como um elemento amplificador, mas são as pessoas quem geram conteúdo, neste caso, os entrevistados. Acredito que alguns poucos jornalistas não se deem o trabalho de pesquisar (antes e após a entrevista), o que contribui/contribuiu para construção de algumas “personalidades” que não passam de profissionais medíocres que vivem da sua imagem. Ao passo de que conheço empreendedores fantásticos que de fato merecem o posto de personalidades, mas a mídia mal os conhece. Ter uma startup hoje, se assemelha a ter um banda na década de 90. De fato há uma glamourização, mas não acho negativa.”

 

Tallis, quanto de loucura o empreendedor precisar ter para triunfar no mundo dos negócios?

Vivemos em um país onde a taxa básica de juros está, neste momento, em 14% ao ano. Além disso, vivemos em uma sociedade que pune o sucesso; hoje, ser empregador no Brasil é como ser inimigo público para uma parcela relevante da população (50% da população votante). Sem contar o fato de que a estrutura tributária e legislativa brasileira faz de tudo, para que você opte pelo funcionalismo público ao invés de gerar emprego…

Considerando os fatos citados acima, eu acho que precisa muito mais do que loucura para triunfar no mundo dos negócios, precisa de paixão, principalmente quando falamos de Brasil.

 

Existe capitalismo puro no Brasil em sua visão?

Nunca existiu! Abrir um negócio real no Brasil é um pesadelo burocrático e operacional criado por um poder extremamente concentrado em uma capital distante e corrupta, que é dominada por uma classe política que tem uma filosofia consistentemente anti-empreendedora. Como resultado, o Brasil ocupa a 122ª posição no Índice de Liberdade Econômica da Heritage Foundation. Isso faz com que o país esteja em uma posição pior que a de paraísos capitalistas como Tanzânia, Honduras e Camboja.

O que existe hoje no Brasil é uma tentativa de implantação de elementos socialistas, onde os amigos daqueles que estão no poder acumulam riqueza e o povo divide a pobreza; como acontece em qualquer sistema que se assemelha ao socialismo. O ponto é, enquanto houver um burocrata tomando decisão de compra, sempre haverá corrupção.

Só haverá capitalismo puro quando entendermos que o Estado é um mal necessário e deve ficar longe do setor monetário, produtivo e bancário.

 

Em uma entrevista, você afirmou que o gerenciamento de pessoas é fundamental para o sucesso de uma empresa. Quais pilares não podem faltar nesse gerenciamento?

(i) Gente AAA – Pessoas diligentes e com alta capacidade de aprendizagem.
(ii) Autonomia – De nada adianta ter gente AAA se você não os dá liberdade para solucionar os problemas da maneira que eles acreditam ser mais eficiente.
(iii) Cultura – Cultura é aquilo que seus funcionários fazem quando você não está por perto; portanto, estabelecer uma cultura é o mesmo que estar onipresente em todas as funções da companhia.

 

Seus empreendimentos nascem de uma inquietude, pelo menos a Easy Taxi surgiu assim. Já teve que domar essa inquietude alguma vez?

O tempo inteiro. Apesar de uma dádiva, acaba sendo, em alguns momentos, uma desgraça. Já que a inquietude é inimiga do foco. Eu vivo em uma briga eterna entre minha necessidade de foco e meu impulso por resolver novos problemas.

 

Talvez a Easy Taxi, seja o seu empreendimento mais conhecido. Por que você acredita que esse empreendimento ainda é tão comentado como revolucionário e único, mesmo depois de passados alguns anos?

Nós fomos um dos 3 primeiros do mundo a implantar este modelo de negócio e consequentemente, ajudamos a criar um setor que hoje é o mais quente em tecnologia, chamado O2O (Online-to-Offline). A Easy Taxi foi um divisor de água para a LATAM (América Latina) e de fato causou uma mudança profunda no comportamento de compra deste serviço de transporte nos 35 países nos quais implementamos a empresa.

Entendo que as pessoas valorizam a Easy Taxi pela magnitude que atingimos globalmente, nos tornando a maior empresa de tecnologia da história do Brasil em termos de presença global, mas principalmente, pela mudança cultural profunda que causamos.

 

A mídia é a grande culpada pela glamourização do empreendedorismo no país nos últimos anos?

Não sei se o termo “culpada” seria o que eu usaria para abordar este tema. A mídia funciona como um elemento amplificador, mas são as pessoas quem geram conteúdo, neste caso, os entrevistados. Acredito que alguns poucos jornalistas não se deem o trabalho de pesquisar (antes e após a entrevista), o que contribui/contribuiu para construção de algumas “personalidades” que não passam de profissionais medíocres que vivem da sua imagem. Ao passo de que conheço empreendedores fantásticos que de fato merecem o posto de personalidades, mas a mídia mal os conhece.

Ter uma startup hoje, se assemelha a ter um banda na década de 90. De fato há uma glamourização, mas não acho negativa. Qualquer coisa que incentive a criação e novos empregos é louvável, desde que “vendida” com responsabilidade.
O empreendedor

Tecnologia: O empreendedor serial e visionário Tallis Gomes (Foto: Divulgação)

 

Gostaria que falasse como pretende fazer a Singu (app de serviços de beleza), ser diferenciada, valorizada e inovadora em seu mercado de atuação.

A Singu atende a milhares de pessoas todos os meses e funciona como um mecanismo de alteração social para aqueles que a utilizam para prestar serviço, nossos artistas. Hoje, temos manicures, por exemplo, recebendo R$5.000/mês através da plataforma…

Nosso plano é continuar na vanguarda do setor de O2O, entregando cada vez mais valor a sociedade, fazendo aquilo que sabemos melhor; tecnologia de serviços.

 

Você já afirmou que o “exit” deve ser o objetivo de todo empreendedor de sucesso. O empreendedor, pode também ter sucesso, se ele for de alguma forma apegado em seu negócio?

Sem dúvida alguma, pode. Existem diversas “vaca leiteiras” admiráveis e respeito muito aqueles que permanecem nelas. O dia que eu encontrar minha vaca leiteira, quem sabe eu também não permaneça nela?

Agora o exit é o fim de um ciclo para todo empreendedor; é quando ele se realiza, de fato, financeiramente e se sente livre para fazer aquilo que ele gostaria de fazer de verdade.

 

Quais caraterísticas uma empresa deve ter para ser relevante por um grande período de tempo?

A principal delas, é um time AAA. A única vantagem competitiva de longo prazo, são pessoas. Toda outra vantagem competitiva pode e vai ser copiada e/ou até superada pelos concorrente em no máximo 5 anos.

 

O sistema trabalhista brasileiro em comparação com outros lugares do mundo que você conhece, dificulta a vida dos empreendedores em que pontos que poderiam fazer toda a diferença na jornada desenvolvedora e consolidadora de uma empresa?

Os tais “direitos trabalhistas” nada mais são do que deveres impostos pelo Governo ao trabalhador. E, para arcar com esses deveres, a maior parte do salário do trabalhador é confiscada já na hora do pagamento.

Somente para bancar os benefícios básicos — férias, FGTS, INSS, encargos sobre aviso prévio — são confiscados R$ 927 mensais de um trabalhador que recebe em suas mãos, um salário mensal de R$ 1.200.

Um funcionário trabalhando em regime CLT (Consolidação da Leis do Trabalho), com um salário contratado de R$ 1.200, custará efetivamente ao seu empregador 80% a mais do que o seu salário. Portanto, hoje eu e qualquer outro empresário, pensamos 10x antes de contratar alguém, já que demitir também é um parto… Considerando o fato de que o fator “pessoas” é a principal premissa na construção de uma companhia sustentável; eu diria que no Brasil, empreendedor, joga no level Hard (no nível difícil).

 

Sua percepção de sucesso muda todos os dias. O que é sucesso neste momento pra você?

Não só minha percepção de sucesso, mas eu mesmo sou uma eterna metamorfose ambulante. Sucesso neste momento, para mim, é ver pessoas se aproximando de mim e dizendo o quanto a Singu tem mudado suas vidas.

Existe um caso de uma senhora que quando veio até nós fazer seu teste, me disse que seu sonho era fazer renda suficiente para fugir de casa com os filhos, já que seu marido, bêbado, os espancava frequentemente.

Receber essa mesma senhora no escritório alguns meses após este evento, me dizendo que ela já estava morando sozinha com os filhos e teria separado do marido me trouxe uma sensação que vivi durante a Easy Taxi: aquela sensação maravilhosa de estar causando uma mudança profunda (positivamente) na vida de alguém. Isso é sucesso…

Um vídeo do empreendedor Tallis Gomes

Patrocinado por:
Sapato Site




Imprimir

Eder Fonseca

 
Diretor executivo e editor do Panorama Mercantil.