Entrevista publicada em 13 de setembro de 2017 por Eder Fonseca em Negócios
 
 

“O mercado não comporta mais amadores”
Nuberto Hopfgartner – Sócio da cervejaria artesanal Doktor Bräu

Nuberto Hopfgartner

A Cervejaria Doktor Bräu nasceu após pesquisas feitas pelos Hopfgartner – o significado do nome alemão é “jardineiro de lúpulo” – que decidiram resgatar a tradição secular dos antepassados austríacos de uma maneira mais urbana: ao invés de plantar lúpulo, produzir cerveja. Assim, em 2015, veio ao mundo, pelas mãos de um médico, Nuberto Hopfgartner, e de um farmacêutico, Fernando Evans, a Doktor Bräu, que desde então não parou de crescer. O nome é uma referência aos seus fundadores (Doktor) e ao próprio negócio, bebida fermentada ou fermentação cervejeira, que em alemão é Bräu. Anteriormente as cervejas eram fabricadas em cervejaria terceirizada em Ipeúna, interior de São Paulo, mas agora no segundo semestre passaram a ser produzidas na fábrica da Doktor Bräu, que está localizada na divisa entre Congonhal e Pouso Alegre, no estado de Minas Gerais. A região foi escolhida após uma pesquisa em poços artesianos que comprovou ser possível fazer uma cerveja leve sem mexer na água. E a Doktor Bräu não é a primeira cervejaria a se instalar por lá. Historicamente, entre 1899 e 1918, a região abrigou a “Austríaca”, produzida com a água considerada a mais pura da cidade: a do chafariz que ficava atrás da Catedral. E hoje, coincidentemente, volta para a região uma cervejaria de “origem” austríaca.

 

Nuberto, você é um médico cirurgião (antes de ser um empreendedor no mundo das cervejas artesanais). Como surgiu essa primeira paixão, ou seja, a Medicina?

Durante a adolescência, quando eu estava escolhendo minha futura profissão, o Brasil passava por uma fase econômica e social muito importante: a implementação do Plano Real, pós-confisco de poupança pelo Collor. Nessa época, as empresas do meu pai faliram e ele perdeu praticamente tudo. Felizmente ele tinha nível universitário, era arquiteto, e começou o reerguimento exercendo sua profissão, mas com muita dificuldade para se reinserir no mercado e encontrar emprego. Antes desta reviravolta eu pensava muito de ser “empresário” como meu pai. Contudo, quando vi a possibilidade de eu perder tudo algum dia, como aconteceu com ele, e ficar sem emprego como meu pai ficou por muito tempo, decidi escolher uma profissão na qual inexiste desemprego. Então escolhi ser médico. Graças a Deus me achei nesta profissão. Passei em Medicina na USP, UNESP e UNICAMP. Conclui a graduação na USP e passei em primeiro lugar em Cirurgia Plástica, também na USP. Como todos da minha família, um quê artístico continuou comigo (mãe estilista, pai arquiteto e irmã ilustradora profissional), e eu não poderia escolher outra área que não fosse Cirurgia Plástica. Atualmente tenho um consultório bem movimentado, faço de 10 a 20 cirurgias por mês nos melhores hospitais de São Paulo, concluo meu Doutorado na USP em 2018, e agora tenho a Doktor Bräu decolando como meu novo empreendimento.

 

Quando o ramo de cervejarias artesanais começou a lhe chamar a atenção?

Há alguns anos comecei a estudar alemão e pesquisar sobre a origem da minha família austríaca, por parte dos ascendentes de meu avô materno. Em viagens à Europa e pesquisas subsequentes, descobri que nosso passado lá na Áustria era de uma antiga (antiga mesmo) tradição de plantadores de lúpulo, um dos principais ingredientes da cerveja, na região do Tyrol. Meu sobrenome em alemão Hopfgartner significa “jardineiro do lúpulo”. Assim, com um precedente desses, não tinha como eu não juntar duas vontades: ser empresário e resgatar a tradição cervejeira dos Hopfgartners.

 

Em que momento você decidiu que o sonho deveria se tornar realidade?

Em 2013, durante uma visita à Austria e à Alemanha, decidi voltar e empreender. Em 2015, após muito estudo sobre produção de cerveja e avaliação do mercado de cervejas, a Doktor Bräu Cervejas Especiais estava aberta.

 

Quais os grandes desafios que o mercado coloca para alguém que investe neste ramo de atividade?

Em 2015 ainda havia poucas cervejarias, então era relativamente fácil ser notado e, mesmo com preços elevados, as cervejas eram bem vendidas. Apenas dois anos depois, temos uma inundação de microcervejarias e cervejarias “ciganas”, então as dificuldades atuais são encontrar um mercado de revenda adequado, conseguir fornecer as cervejas com um preço atraente e distribuir em larga escala para ganhar volume de vendas. Quem começa hoje vai encontrar dificuldades para ampliar seu mercado e conseguir viver do sonho de ter uma cervejaria. Com o crescimento do mercado de cervejas artesanais, há muitas pessoas que investem sem planejamento adequado, sem muita qualidade e até, muitas vezes, sem verba suficiente para colocar em prática o plano de ter uma cervejaria. Destaco que o mercado não comporta mais amadores. Quem investir sem um profundo e amplo estudo, tende a não conseguir ter este mercado como lucrativo.

 

O que você destacaria como grandes diferenciais da Doktor Bräu?

A Doktor Bräu é uma cervejaria muito respeitada pelos cervejeiros experientes, e sempre preza pela qualidade dos produtos e benefícios ao consumidor. O exemplo disso é que já baixamos nossos preços quatro vezes desde que abrimos, sem reduzir a qualidade, simplesmente por estarmos ganhando volume e consequentemente competitividade, e repassamos tal para o consumidor. Temos cervejas cuidadosas e diferenciadas, como uma cerveja com hortelã, outra com hibisco. Nunca economizamos em matéria-prima, abusamos de qualidade e quantidade. Temos uma identidade visual incrível e uma agressividade em expansão de vendas muito interessante. Fechamos de um a três novos distribuidores por mês. Já estamos vendendo em 10 estados. Para completar o grande diferencial da Doktor Bräu, inauguraremos neste segundo semestre a nova fábrica em MG. Uma fábrica incrível, moderna, com centrífuga e outros equipamentos de última geração. O conceito da Cervejaria Doktor Bräu será mais parecido com o das cervejarias norte-americanas, que incluem um plano completo de visitação: o turista poderá visitar, degustar, passar um tempo em nosso tap room e gift shop e comprar inúmeros itens de lembrança, como kit, camisetas, bonés, abridores, copos, etc.

 

Em que elementos uma cerveja artesanal como Doktor Bräu deve ter uma sutileza cirúrgica?

A sutileza e precisão cirúrgicas vão desde os cuidados de higiene às técnicas de produção. A precisão na elaboração dos sais adicionados à água, antes mesmo de iniciar a brassagem, de acordo com o estilo da cerveja, para que aquela água seja similar aos ícones mundiais prediletos de águas para aquele estilo de cerveja. A precisão na escolha dos melhores maltes e lúpulos importados.
Doktor Bräu

Empreendedor: O sócio da Doktor Bräu Nuberto Hopfgartner (Foto: Rafael Guirro)

 

No que sua experiência como médico ajuda como investidor neste setor?

Minha experiência como médico ajudou muito na expertise de como valorizar e cuidar de seu cliente. O respeito ao cliente é algo sagrado na Medicina. A busca por excelência e atualização na respectiva área de conhecimento também. Então transferimos todo o cuidado, carinho, precisão e necessidade de conhecimento para o mundo empresarial. Assim, nós da Doktor Bräu colocamos, sem dúvida, o nosso cliente em primeiro lugar. Nós, médicos, nunca nos espantamos com volume gigantesco de trabalho, portanto, suportar a enorme carga de trabalho de uma cervejaria não foi empecilho nenhum para crescermos 400% no último ano.

 

Quais são os rótulos atuais da Doktor Bräu?

Atualmente a Doktor Bräu conta com seis cervejas de linhas regulares (qualquer semelhança com nomes do universo médico-farmacêutico não é mera coincidência): PsicótIPA (American IPA com aromas cítricos); AnesthesIPA (Imperial IPA); Soro N’Aveia (Summer Ale com aveia); MedikaMenthus (APA com hortelã); HemorragIPA (Red IPA com hibisco) Witamina (Witbier com casca de laranja, camomila, semente de coentro e Vitamina C).

A elaboração de novos produtos obedece ao desejo de inovação dos sócios, além das tendências de mercado e da influência dos amigos cervejeiros. Os lançamentos são frequentes (em junho foi apresentada ao mercado a HemorragIPA v2 e tem surpresa vindo por aí) para seduzir o público e levá-lo a novas experiências.

 

Poderia nos falar das características de cada uma delas?

PsicótIPA – American IPA com aromas cítricos, 7,2% alc, encorpada e com amargor presente e fugaz, 58 IBUs. AnesthesIPA – Imperial IPA com aroma de lichia e uva verde, 8,6% de alc, muito encorpada e amarga, 86 IBUs. Soro N’Aveia – Summer Ale com aveia, refrescante, 5% de alc, dourada e filtrada, espuma cremosa, apesar de ser uma ALE lembra muito as cervejas lagers brasileiras da década de 90. MedikaMenthus – APA com hortelã, 5,3% de alc, leve, refrescante. A adição de hortelã visa dar toques herbais e refrescância na cerveja. É uma adição bem discreta, para não estigmatizar a cerveja. HemorragIPA – Red IPA com hibisco. Uma IPA de cor vermelha, amargor moderado equilibrado com o sabor do hibisco.7% de alc e aroma de frutas vermelhas. Witamina – Witbier com casca de laranja, camomila, semente de coentro e Vitamina C. É uma cerveja leve, 4,5% de alc, refrescante e muito condimentada. Cor amarelo claro palha, quase branca, opaca e muito aromática.

 

Fale um pouco sobre a nova fábrica da Doktor Bräu.

Localizada na divisa entre Congonhal e Pouso Alegre, no estado de Minas Gerais, a região foi escolhida após uma pesquisa em poços artesianos que comprovou ser possível fazer uma cerveja leve, sem mexer na água. E a Doktor Bräu não é a primeira cervejaria a se instalar por lá. Historicamente, entre 1899 e 1918, a região abrigou a “Austríaca”, produzida com a água considerada a mais pura da cidade: a do chafariz que ficava atrás da Catedral. E hoje, coincidentemente, volta para a região uma cervejaria de “origem” austríaca.

A fábrica de 3.000 m2 de área construída ocupa um terreno de 16.000m2 e conta com sede administrativa (400m2), área produtiva (350m2), um pub e gift shop (150m2).Possuiremos um estacionamento gratuito para 50 carros. O padrão almejado para o empreendimento compara-se ao das cervejarias norte-americanas, que fazem da visitação um passeio extremamente agradável. A intenção da Doktor Bräu é criar um ponto turístico para os apreciadores de cervejas artesanais por meio de uma experiência completa na arte cervejeira – cursos, degustação, harmonização, uma vista relaxante aliada a conhecimentos técnicos cervejeiros – para que o turista saia da fábrica como fã da marca. Teremos no local ambiente descontraído, presentes serão acessíveis como camisetas, bonés, canecas e copos especiais. A proposta é fazer o visitante sair cheio de alegria e com histórias para contar. [vídeo]

 

Como será a expansão da empresa nos próximos anos e quais são as expectativas que isso tem gerado em você e no seu sócio Fernando Evans?

O plano de expansão focará na ampliação de produção, comprando mais fermentadores. Visamos atingir estados do Brasil que ainda não alcançamos. Em seguida, iniciaremos nossa entrada no varejo. Com nossa política de prioridade atual destinada a reduzir custos e preço final, a partir de nossa produção própria, isso com certeza ocorrerá. Acompanhando a Doktor Bräu em feiras e eventos cervejeiros é possível notar a atração que a criatividade e as inovações de nossa cervejaria exercem sobre o público, que sempre enfrenta longas filas para tomar nossas cervejas. Entramos no segundo semestre com expectativa de crescimento, em pleno cenário de crise econômica, fazendo nossa parte: contratando funcionários e aumentando a produção para, assim, contribuir com a movimentação de mercado e fazer nosso pequeno, mas importante papel, na retomada geral de crescimento.



Patrocinado por
Sapato Site



Eder Fonseca

 
Diretor executivo e editor do portal Panorama Mercantil.