Entrevista publicada em 28/08/2017 por Eder Fonseca em Pensamento
 
 

“Os imigrantes são bem-vindos aos EUA”
Genilde Guerra – Sócia do escritório de advocacia Kravitz & Guerra, P.A.

Genilde Guerra

Como parte da sociedade dos escritórios de advocacia da Kravitz & Guerra, P.A., em Miami, Flórida, Genilde E. Guerra auxilia a comunidade internacional em assuntos relacionados a Expansões Internacionais, Planejamento de Negócios Globais, Direito Imobiliário, Direito Tributário e outros. Guerra fala fluentemente cinco línguas, incluindo seu português natal, inglês, francês, espanhol e italiano. Admitida no Bar da Flórida, Bar de Nova York, Washington DC Bar e Inns of Court of England & Wales, Reino Unido, também possui licenciatura em Negócios Internacionais e vários diplomas de extensão em Direito Internacional, Direito da União Europeia, Comércio Internacional, e Direito Comercial de Escolas em prestigiadas instituições como a Universidade de Harvard, a Universidade de Tulane, o University College de Londres e a Universidade de Oxford. Como advogada licenciada na Inglaterra, a lei britânica dá-lhe o direito de praticar em jurisdições da Commonwealth em todo o mundo, como Hong Kong, nas províncias canadenses e em países do Caribe. Concentrando-se no desenvolvimento de estratégias legais e eficazes para as empresas que expandem suas atividades para os Estados Unidos, ela tem sido amplamente retratada em espaços midiáticos nacionais e internacionais. Recentemente apareceu em uma variedade de publicações, incluindo a revista Talk e a Revista Mujer.

 

Genilde, você foi para os EUA para estudar inglês e não voltou mais para o Brasil. Como surgiu neste contexto o senhor Robert Alan Kravitz e consequentemente a parceria de sucesso que perdura até os dias atuais?

Eu fui para os EUA para estudar e assim que entrei na universidade consegui um emprego em um escritório de advogados. Logo depois conheci o dr. Robert Alan Kravitz, que já era reconhecido como um dos melhores advogados de imigração. O dr. Kravitz era consultado por nós em todos os casos especiais; uma espécie de consultor jurídico da nossa empresa. Trabalhei nesta firma por um ano e saí quando o meu ex–chefe se aposentou. Logo em seguida fui procurar emprego no escritório do dr. Robert Kravitz, na qual não tinha uma posição aberta para assistente, porém como eu estava bem preparada para posição, acabei sendo aceita para trabalhar com ele. Em seguida nos tornamos sócios, formando assim uma parceria de excelência, o que nos traz orgulho pelo resultado positivo de nossos casos e reconhecimento de nossos clientes.

 

Em que momento o assunto imigração começou a lhe chamar atenção?

Sempre gostei muito do que diz respeito a imigração, globalização e cultura internacional. Como imigrante, o assunto envolvendo as leis de imigração me despertaram muito interesse desde que cheguei aos Estados Unidos. É muito gratificante assistir um imigrante a realizar seus sonhos e obter o resultado esperado. Venho acompanhando de perto toda a situação global e reconheço a necessidade de melhoria. Realmente é instigante contribuir de maneira positiva na vida das pessoas que estão em busca de um novo país, de um novo idioma, de novos costumes, de novas oportunidades de trabalhos, ou seja, de um nova vida!

 

Quais os principais devaneios e dúvidas que as pessoas têm sobre este assunto?

As dúvidas são variáveis para cada tipo de situação, porque como vocês sabem têm várias maneiras de imigrar para os Estados Unidos. Mas uma das mais comuns dentre outras dúvidas e independente do caso é: “Quando os pais perguntam, se como turistas, eles podem matricular os filhos em escolas públicas”. As leis e procedimentos estão constantemente mudando. E na maioria das vezes o que é comentado ou veiculado nos canais de notícias e mídias sociais não está claro o suficiente para o bom entendimento do imigrante ou não se adapta na situação de cada pessoa, criando incoerências e dúvidas jamais imaginadas por mim. Existem mais de 40 tipos de vistos diferentes e muitas pessoas ainda se confundem pela falta de informação. Por isso a importância de assistência jurídica apropriada para cada circunstância.

 

Qual a sua visão sobre a política anti-imigração defendida por Donald Trump?

Até o momento o governo do sr. Donald Trump não apresentou nenhuma política “anti-imigração”. Todas as divulgações a respeito de “anti-imigração” foi do chamado “fake news” (notícias falsas). Em fato, a história mostra que as mudanças favoráveis às leis de imigração aconteceram sempre durante o governo do Partido Republicano (Partido do sr. Donald Trump) as quais são voltados para a política de livre mercado (Marketing/Competividade), ao contrário de uma política socialista (Welfare/Assistencialismo) que é promovida pelos Democratas, o partido de oposição ao Trump. E por este motivo, dificilmente existirá uma lei de imigração sendo aprovada durante um governo do partido Democrata (socialista).

Estamos muito otimistas com a possibilidade de uma mudança positiva nas leis de imigração. Certamente o governo do sr. Donald Trump irá combater as fraudes e também a imigração ilegal, que prejudica não somente o país mas também os imigrantes.

 

O número de brasileiros que emigraram para os EUA, cresceu de alguma forma devido a instabilidade política e econômica do país?

Acredito que sim, mas isto é normal. Quando alguns profissionais enfrentam dificuldades de progresso em seus países, o correto é ir em busca de novas oportunidades. E os EUA, em geral tem boas oportunidades para quem pretende se sobressair em suas atividades. Cada um sempre busca o que é melhor para si, novas oportunidades, melhor segurança, uma vida melhor e mais harmoniosa. A lei americana oferece tantas opções para migração que fica fácil e confortável fazer planos. Os imigrantes que vêm para os EUA automaticamente beneficiam imensamente o Brasil, pela adaptação de respeito de Moral e Cívica que adquirem nos Estados Unidos mas nunca abandonando a sua pátria.

 

Quais as reais dificuldades de se conseguir um visto para os EUA?

Em geral, todos os imigrantes são bem-vindos aos EUA. No entanto é importante para o imigrante ter um plano definido do que vai fazer nos EUA. Cada tipo de visto exige uma qualificação específica, seja ela profissional, educacional ou mesmo situação civil. Com essas informações, o profissional (advogado) de imigração poderá definir o tipo de visto mais adequado para qual o requerente se aplica.
A reconhecida

Imigração: A reconhecida advogada Genilde Guerra (Foto: Kravitz & Guerra/AP)

 

Quanto tempo leva para uma pessoa obter um visto ou permissão para se instalar nos EUA seja para administrar o seu negócio, trabalhar ou morar?

O tempo para se obter um visto de negócio depende do tipo de negócio, do desempenho do estrangeiro em desenvolver seu negócio, da disposição do aplicante de reunir todos os documentos necessários. O nosso procedimento é muito rápido depois que temos todos os documentos necessários e o departamento de imigração tem uma taxa para aceleração de processo (Premium Processing Fee) na qual obtemos a resposta dentro de 15 dias. Em geral, um visto de negócios pode levar de 2 a 6 meses para ser processado. Porém existem mais de 40 tipos de vistos americanos e para cada visto tem taxas e normas diferentes. Muitos deles não tem taxa de aceleração de processo.

 

Por que o visto EB-5 é considerado o melhor visto?

Como advogada nos escritórios Kravitz & Guerra, P.A., considero o EB-5 como a última das opções. Sempre verificamos se o aplicante qualifica para um outro tipo de visto ou uma outra forma para obter o Green Card. Caso a pessoa não qualifique para outro tipo de visto ou o indivíduo que somente quer morar aqui nos EUA, não querendo exercer nenhuma atividade econômica, nestes casos EB-5 é considerado uma boa opção. O visto EB-5 é um processo simples para a compra de um Green Card, e o melhor que ainda é possível na maioria das vezes recuperar parte do dinheiro investido.

 

Um dos pontos mais colocados sobre o escritório Kravitz & Guerra, P.A. é o atendimento diferenciado na comunidade de Miami. Como enxerga esse diferencial?

Primeiramente porque nos orgulhamos do que fazemos, e com isto tornamos a relação com os nossos clientes única. Agimos de forma proativa, somos acessíveis e transparentes.

Estamos sempre dispostos a ouvir e atender as necessidades dos nossos clientes, estabelecendo assim um relacionamento de longo prazo baseado na confiança, além de nossa equipe falar diferentes idiomas, tornando assim o atendimento mais completo e de mais fácil entendimento. Nosso escritório é de fácil acesso, ótima localização, pois está situado no coração de Miami, em Downtown. Já atendemos todos os tipos de casos, isso nos levou a moldar o tipo de atendimento específico para cada cliente. Nós adaptamos os preços implementando diferentes tipos de pagamento, como por exemplo financiamentos.

 

A legislação da Flórida é a mais eficiente dos EUA?

A Flórida é muito próspera e possui uma economia bastante nova; por exemplo a cidade de Miami tem apenas 121 anos de existência. A economia da Flórida é voltada principalmente ao comércio, turismo e agricultura. E por ser um estado novo, a prosperidade está sempre se adaptando ao mundo atual e global. Por isto é muito confortável para uma pessoa estrangeira expandir seus negócios para Miami, onde a adaptação inicial é muito mais fácil. Em resumo, um empresário que deseja expandir seus negócios para os EUA e escolher Miami, não sentirá um choque cultural, e ao mesmo tempo terá todos os benefícios de uma economia dinâmica americana. Talvez por estes motivos alguns achem que a legislação da Flórida é a mais eficiente.

 

Talvez o maior entrave do Brasil (junto com a corrupção), seja a burocracia. Um exemplo claro disso é o martírio para se abrir uma empresa no país. Com toda sua experiência internacional, podemos dizer que falta vontade política para que as coisas tenham um processo mais acelerado, como por exemplo nos EUA, onde se abre uma empresa com uma semana?

O maior entrave do Brasil não são as leis adotadas e sim a falta de cumprimento das leis, digo de forma geral, tanto pela população, Governo e magistrado. O Brasil é único país do mundo que a população usa a expressão “Tem lei, mas a lei não pegou”. A população se sente desamparada e desacreditada nas medidas e ações tomadas pelo Governo.

Um vídeo da advogada Genilde Guerra

Patrocinado por:
Sapato Site




Imprimir

Eder Fonseca

 
Diretor executivo e editor do Panorama Mercantil.