Negócios
 
Vall Coutinho
Vall Coutinho
Vall Coutinho

Os efeitos da crise financeira obrigaram o restaurante em que o chef Vall Coutinho trabalhava a fechar as portas, no início de 2016, na capital fluminense. Após mais de 20 anos de carreira e um jantar especial para o cantor e compositor Roberto Carlos no currículo, ele se via então diante de uma situação inédita e ao mesmo tempo desafiadora: ou seguiria o caminho comum de aceitar ganhar menos em outro emprego ou apostaria no seu próprio negócio. Com 12 receitas de batatas recheadas, R$ 1 mil de limite no cartão de crédito como capital de giro e a ajuda do filho Vito Laselva para cuidar do marketing e das vendas, nascia em fevereiro de 2016 a Batata do Vall. O negócio começou de forma incipiente, na própria casa do chef, que fazia entrega em alguns poucos bairros do Rio de Janeiro. Mesmo assim, logo em seus dez primeiros meses, já faturou R$ 250 mil, com as vendas de 7.174 batatas. A ampliação da demanda obrigou a dupla a pensar em outras maneiras de gerar receita com o negócio. Além de venderem as batatas já prontas no delivery, passaram a comercializá-las congeladas, para que o próprio consumidor possa esquentá-las no forno ou micro-ondas. “Em 2017 temos uma previsão de faturamento de R$ 400 mil além de lançarmos uma nova loja, na região Oeste da capital”, afirma o chef.