Entrevista publicada em 28/11/2018 por Eder Fonseca em Pensamento
 
 

“Toda nossa certeza vem de resultados aferidos”
Cesar Romão – Jornalista, advogado, escritor e conferencista

Cesar Romão

Cesar Romão possui formação em Direito, com pós-graduação em Administração, MBA em Marketing e mestrado em Psicologia Organizacional. Possui Cursos de Extensão pela Universidade da Califórnia e pela Universidade de Richmond – EUA, além de ser Doutor Honoris Causa de Iberoamérica, DHC. Eleito pelos principais veículos de comunicação do país como um dos escritores mais lidos do Brasil. Foi motivador da Força de Paz da ONU integrada pelos soldados do Exército Brasileiro. Especialista em Gestão de Pessoas através de sua consagrada metodologia nas áreas de: Motivação, Estratégia, Marketing, Liderança, Educação, Vendas, Carreira e Empreendedorismo. Jornalista profissional, possui uma visão econômica, social e política capaz de mensurar panoramas dentro destas áreas de maneira a contribuir para decisões de expansão empresarial e sugerir ao público tendências de mercado, ações retratadas em suas matérias e artigos sobre consultoria empresarial e organizacional, publicadas em diversos veículos jornalísticos do país. Criador e executor do Projeto Fábrica de Gente, que, ao longo de 19 anos de existência, reintegrou à sociedade centenas de meninos de rua, através do trabalho e profissionalização especializada. Um projeto reconhecido internacionalmente, tendo recebido diversas menções e congratulações no Brasil e no exterior e também na área de recursos humanos.

 

Cesar, motivação é um fator interno ou externo?

Motivação tem seu botão acionador internamente e depois passa a depender de fatores externos. As pessoas sentem o desejo de conquistar algo, deste ponto em diante precisam transformar esforço em resultado positivo. Como seres mamíferos que não abandonaram o leite, somos muito condicionáveis em razão de circunstâncias adversas, assim como os animais mamíferos. Eis uma razão primordial para que as pessoas exercitem a motivação: para não se deixarem levar pelo destino que o mundo oferece e sim construir seu destino.

 

Quais as maiores responsabilidades em ser um motivador de alguém em um aspecto íntimo (familiar, amizade e relacionamentos) ou de um grupo num círculo um pouco mais coletivo como das organizações empresariais por exemplo?

A maior responsabilidade de alguém que motiva é caminhar a sombra de suas palavras. Estamos repletos de pessoas que falam, mas não fazem, falar é simples, praticar é o grande desafio.

 

Como podemos ter a certeza absoluta que algo nos agregou valor?

Toda nossa certeza vem de resultados aferidos, é necessário saber mensurar nosso desempenho, quem não conhece a causa não repete o efeito. Somos movidos por resultados promissores. Muitas pessoas por não contarem suas dádivas dão muito valor aos índices de erro. Tudo que pode acontecer por menor que seja tem efeito colateral em nossa vida.

 

É difícil distinguir agregação de valor com entusiasmo passageiro?

Entusiasmo constante é lutar contra uma dor existencial, dói muito e exige muito, eis a razão das pessoas preferirem o entusiasmo passageiro. Ele vende uma ilusão e não exige comprometimento e dedicação. Este método de conduta não agrega nada. A pessoa faz um curso ou treinamento só para dizer que fez e postar fotos que lá esteve, mas não aprendeu nada, nem se comprometeu com nada, agregou um valor gelo em sua vida. Self de treinamento e curso não ensina nada.

 

Hoje vivemos em mundo de opções e distrações. Como usar o tempo como nosso aliado neste cenário?

Quem não tiver foco permanente em seus objetivos vai ser escravo da Era do Vazio, onde o conto de fadas parece real e nos coloca dentro de uma caixa de pandora.

 

Em algumas entrevistas, sempre falamos sobre a falta de lideranças em nosso país. Como surge um líder?

Líderes podem nascer, ou podem ser construídos pelo estilo de vida e pensamento que desenvolvem, assim como sua crença em transformar algo. Lamentavelmente em nosso país ainda escolhemos líderes que contam piada, debocham do povo e só fazem críticas sem ter construído algo em sua própria vida. Criticam muito, mas, passam no farol vermelho, não respeitam a faixa de pedestre e não possuem gentileza alguma no trânsito. Em meu treinamento de liderança, coloco o candidato a líder para guiar em horários de pico na cidade de São Paulo, nos primeiros 20 minutos ele se contém, depois já começam a mostrar quem realmente é. Precisamos mais de um povo com valores, princípios, ética e moralidade do que de líderes.
O jornalista

Vários Insights: O jornalista, escritor e conferencista, Cesar Romão (Foto: Pixabay)

 

A tarefa de distinguir um líder de um engodo messiânico torna-se complexa em que pontos?

Este é um movimento social que sempre existiu e a razão é simples, as pessoas querem terceirizar seus problemas como fazem com sua fé.

 

Quais são os fatores existenciais que têm perturbado a psique humana na atualidade?

A Ética é o principal deles, ela vem desaparecendo dia a dia da vida cotidiana da humanidade, tornou-se uma alavanca apodrecida, mas ainda sustenta o mundo e a conduta humana.

 

A intuição pode nos enganar?

A intuição não nos engana, nós é que nos acovardamos ao não ouvi-la e colocá-la em prática. A intuição é um elemento de sobrevivência que recebemos do Grande Arquiteto do Universo. Escrevi um livro sobre isto, “A Força da Intuição”. Nele conto em detalhes como ela pode nos colocar em nosso verdadeiro caminho.

 

Quando a vida profissional pode destruir a pessoal?

Temos estes dois paradigmas em nossa vida. O mundo sempre teve dualidade e cabe a nós saber viver com esta dualidade. Ambas as partes desta dualidade não se tornaram nossas inimigas ou nossas algozes se usarmos equilíbrio na convivência com elas. A que mais alimentarmos irá vencer e a outra irá perder. Com tanto avanço as pessoas continuam levando serviço para casa e nem por isso estão trabalhando mais. Quem não consegue terminar seu trabalho em horário de trabalho deve repensar na metodologia da execução de seu trabalho. O caminho do meio é sempre o que irá nos levar em todas as direções.

 

E em que momento a vida pessoal pode destruir a profissional?

As pessoas são contratadas por suas competências e capacidade de trabalho, mas são demitidas por sua conduta no trabalho. Em minhas palestras e treinamentos presencio muitos líderes que ficam totalmente bêbados no final da convenção, e pessoas bêbadas não levam muito tempo para serem elas mesmas. Eis um das centenas de motivos que podem destruir a vida profissional. Empresas querem a sua força de trabalho e não seus desafios emocionais. É necessário saber compor e separar quando se está em atividade profissional. Não tem como misturar as coisas, esta receita não é boa. Resolva seus problemas no âmbito em que eles foram criados, assim tudo pode funcionar melhor.

Um vídeo do conferencista Cesar Romão

Patrocinado por:
Sapato Site




Imprimir

Eder Fonseca

 
Diretor executivo e editor do Panorama Mercantil.