Negócios
 
João Espíndola
João Espíndola
João Espíndola

Com o Covid-19, as vendas de todo o comércio e das redes varejistas tendem a despencar, já que as pessoas não estão saindo para ir às compras. De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), as categorias básicas como alimentos, bebidas, saúde e higiene pessoal apresentaram alta de 180% nas vendas desde 12 de março. E os pequenos negócios que movem a economia brasileira, como ficam? Com a proposta de fomentar a arrecadação desses negócios, em meio a uma das piores crises de saúde pública no país e no mundo, a Todo Cartões, startup que opera cartões presentes dos maiores varejistas do Brasil, desenvolveu uma versão da tecnologia adaptada para os pequenos negócios para que o repasse financeiro ocorra de forma rápida e eficiente, para manter em pé toda a cadeia produtiva do varejo e consumo. Gratuita, o objetivo é contribuir para que os microempreendedores possam gerar vendas antecipadas e ter capital de giro para enfrentar a crise sem ter que fechar as portas. “O único custo que os microempreendedores terão para vender seus cartões presente é com a taxa de cartão de crédito. Se fosse uma solução cobrada para uso, poderíamos faturar até R$ 100 mil/mês das empresas, mas essa não é a saída”, pontua João Espíndola, fundador e CEO da empresa, que já atende grandes redes de varejo do Brasil, como Riachuelo, Centauro, Outback, Havaianas e RiHappy.