Entrevista publicada em 25/11/2019 por Eder Fonseca em Negócios
 
 

“A agilidade é uma necessidade”
Washington Yamaga – Conselheiro de empresas e sócio-fundador da Rácz, Yamaga & Associates

Washington Yamaga

Washington Yamaga é químico, formado pela USP, com licenciatura em Educação Química e pós-graduação em Tecnologia. Durante a trajetória profissional gerenciou multinacionais na América do Sul, como DuPont, Akzo Nobel e PPG. Além disso, é especialista nas áreas de Marketing, Vendas & Tecnologia para o mercado de Tintas, Químicos, Automotivo e em Tratamento e Reuso de efluentes. É conselheiro de empresas e sócio-fundador da Rácz, Yamaga & Associates. A Rácz, Yamaga & Associates é uma consultoria da área química, voltada para o segmento de tintas, revestimento e sua cadeia de suprimentos. A empresa traz uma visão de crescimento estrutural inteligente integrando conhecimento e inovação, com foco em direção estratégica, desenvolvimento de modelo de negócios, fusões e aquisições. Os sócios, Francisco Rácz e Washington Yamaga, participaram de diversas inovações do mercado em empresas multinacionais e nacionais em diversos países. Atuam em processos de reestruturação & gerenciamento, mentoring e transferência de tecnologia, serviços e distribuição. Com visão global de mercado e network, potencializam os talentos de uma organização para implantar decisões objetivas e estratégicas de médio e longo prazo, sem perder a competência básica de cada negócio. “O mercado de tintas e revestimentos no Brasil está entre os cinco maiores mercados globais”, conta Yamaga.

 

Washington, o que foi fundamental para você seguir na carreira em que atua no momento?

A carreira como executivo na área química, dirigindo negócios em empresas multinacionais globais e nacionais, me permitiu ter uma visão holística de negócios em diversos mercados simultaneamente e trouxe o desafio de poder servir às demandas específicas de cada negócio. Os setores de tintas e revestimentos têm como definição recobrir substratos diversos em muitos segmentos, o que é um dos principais motivos que me fizeram seguir a carreira.

 

Como se situa o mercado de tintas e revestimentos em nosso país?

O mercado de tintas e revestimentos no Brasil está entre os cinco maiores mercados globais, contando com mais de 500 fabricantes e capacidade instalada de mais de 2,0 bilhões de litros. O setor de tintas está presente nos mercados B2B & B2C servindo segmentos da construção, infraestrutura e todos os mercados industriais do país. As vendas da indústria de tintas totalizaram em 2018, 4,5 bilhões de dólares. Entre cadeia de suprimentos de materiais, revenda e indústria, o setor de tintas e revestimentos movimentou cerca de 13 bilhões de dólares, em 2018. O mercado brasileiro representa cerca de 60% da América do Sul. Companhias globais, ou as que chamamos de multinacionais, detêm 53% do valor de mercado. As demais empresas são as regionais que servem os mercados locais ou os mercados internacionais.

 

Quais os maiores obstáculos para se estabelecer nesse mercado?

As barreiras de entrada são maiores nas tintas industriais e automotivas por conta das tecnologias envolvidas de difícil acesso. E nas tintas arquitetônicas, o maior obstáculo é atingir a confiabilidade da marca, fator que define o sucesso nas vendas em lojas de tinta. No mercado de tintas do Brasil, 75% do volume são representadas pelas tintas arquitetônicas e 25% pelas tintas industriais e automotivas, original e reparação. Nas tintas arquitetônicas pouco mais de 35 empresas têm 90% do faturamento.

 

Como se deu a criação da Rácz, Yamaga & Associates?

A RY nasceu em 2008, dentro de um projeto, de matérias-primas para indústria de tintas, idealizado por mim e pelo meu sócio, Francisco Rácz, na consultoria de negócios. Na época, as empresas do setor químico, particularmente no setor de tintas, não tinham acesso às consultorias especializadas que pudessem executar projetos integrados no gerenciamento de negócios. A RY foi a primeira consultoria especializada no negócio de tintas e revestimentos. Criamos a RY com o objetivo de identificar soluções como estratégia de valor para os nossos clientes. Influenciarmos decisões dentro do mercado químico e, em especial, nos mercados de tintas e adjacentes, em toda extensão da cadeia desde as matérias-primas para tintas até a revenda dos produtos. Como uma das estratégias de negócio, executamos projetos direcionados e com exclusividade, além de palestras com informações atualizadas do setor.

 

Quais os principais pilares da consultoria?

A RY & Associates tem foco nos modelos inovadores de negócios para crescimento estrutural inteligente. Esses modelos de negócios são baseados na nossa experiência estratégica, inovação e direcionamento do conhecimento existente no mercado, sejam eles por meio de alianças ou aquisições.

 

E o que norteia a sua visão como um dos sócios da empresa?

A oportunidade de conectar valor às pessoas e organizações por meio da experiência, network e inovação que adquiri ao longo da minha carreira, contribuindo na expansão de grandes empresas.
Francisco Rácz

Mercados: Os sócios Washington Yamaga e Francisco Rácz (Foto: Divulgação)

 

Como o senhor enxerga a inovação no segmento de tintas e revestimentos?

Na minha visão, são definidos como mercados maduros e dependem da evolução dos substratos que vão pintar. Em mercados emergentes, a inovação não se concentra na geração de eventos disruptivos que poderiam criar novos mercados. As empresas consideradas de sucesso no mercado nacional, têm se destacado pela capacidade de entender a inovação muito mais como a arte de colocar o novo em ação. São empresas que têm o foco na procura de oportunidades emergentes, a substituição produtiva de portfólio e o time to market. Para mim, a crescente digitalização e a conectividade modificam os negócios e trazem novas oportunidades e soluções, no sentido de inovar, o que aumenta a competição entre concorrentes ou mesmo atrai os novos entrantes.

 

Hoje as organizações falam sobre ter uma visão integrada. Como a sua consultoria traz essa visão integrada para as empresas que auxiliam?

A RY estabelece para seus clientes, programas específicos para a diversidade multidisciplinar de suas organizações. A evolução das ferramentas digitais demanda competências multifuncionais para se obter produtividade plena. Investir nos centros de excelência – próprios e em universidades ou startups, são maneiras eficientes de criar e estimular uma nova cultura. A cultura do resultado é importante, mas é necessário que haja essa visão integrada, e a RY, em seus projetos, ajuda o cliente no reconhecimento das vulnerabilidades de sua estrutura organizacional. Hoje, as empresas de sucesso estão voltadas para ação e foco nos negócios, sendo ágeis e renováveis. A agilidade é uma necessidade, não uma opção, e é resultado do empoderamento digital da força de trabalho. Mais que a mentoria efetiva e estratégica, precisamos cada vez mais de influenciadores e dos aceleradores.

 

Alianças estratégicas são fundamentais em que estágios do negócio?

A tendência para mercados emergentes é o estabelecimento contínuo de alianças com detentores do know-how e clientes parceiros para redução dos tempos de validação através de protocolos e protótipos. Um dos desafios das indústrias de tintas está na redução do tempo para desenvolvimento de tecnologias e processos, utilizando-se das plataformas digitais na busca de matérias-primas e formulação, não somente intercompany, como também conectados a fornecedores e clientes. Na América do Sul, o excedente de capacidade que temos na indústria de tintas no Brasil tem sido a área de preocupação, não só pela capacidade volumétrica, mas também pela produtividade não competitiva. Muitas empresas desse setor já operam uma nova geração de equipamentos com processos inteligentes de manufatura e leitora de cores digital nos controles de qualidade e pontos de venda. Com isto, as empresas se tornam competitivas em mercados externos especialmente em outros países da América do Sul.

 

Qual a importância do marketing no setor em que a sua consultoria atua?

A estratégia de marketing na área química é de fundamental importância, uma vez que são segmentos maduros em transformação na retomada da economia. Assim como em outros setores, o marketing está atento e informado sobre inovação, lançamentos, investimentos, aquisições, novidades, planejamento e comunicação, entre outras informações relevantes para o desenvolvimento de ações rápidas e assertivas. A indústria de tintas tenta entender a jornada de pintura do usuário final. A trajetória do cliente impacta uma classe média crescente e mais sofisticada, especialmente influenciada pela mídia social digital.

Com a classe média estão os drivers determinantes para o crescimento de tintas na América do Sul. Outros mercados emergentes como a China e Índia podem ser referências de sucesso para nossos mercados. Muitas empresas nesses países inovaram o fornecimento de produtos com benefícios claramente posicionados em serviços, planejamento, comunicação e, principalmente, o marketing. O maior e melhor conhecimento da experiência do cliente na jornada de pintura poderá mudar o modelo de negócios de tintas e serviços mais rapidamente que a expectativa da indústria. Para conhecimento: segundo o estudo do Instituto Kantar, 93% dos usuários de tintas relataram dificuldade no planejamento, seleção e compra de tintas e 78% informaram que pintariam ambientes com mais frequência caso esse processo fosse mais simples e rápido (jan 2019).

 

Como enxerga o futuro do mercado e o que a Rácz, Yamaga & Associates deve fazer para estar inserido e bem-sucedido nele?

A RY & Associates está focada nos projetos de novos investimentos do setor químico, através dos processos de fusões, aquisições e alianças estratégicas. As nossas projeções indicam retomada gradativa dos negócios do mercado interno acoplados à expansão das exportações diretas de tintas ou de seus clientes. Mas, para isto, o setor tem clara definição da necessidade de sairmos de um mercado de alta concorrência para um mercado onde sejamos mais competitivos. Em reação à queda de participação de mercado e com algum senso de antecipação, nos últimos três anos, as marcas líderes de tintas introduziram em muitas capitais brasileiras as novas plataformas digitais na direção do ominichannel e expandiram a possibilidade de agregar mais valor ao processo de pintura. A experiência do cliente com serviços, produtos, a inspiração e a cor não caminham dissociados.

O grande desafio de tintas para atingir a competitividade, ainda é a integração da loja física, virtual e o usuário, combinando a distribuição mais homogênea do valor agregado em cada etapa da cadeia de suprimentos. O mercado rapidamente está se reposicionando na resposta às demandas do consumidor final de serviços e produtos. Nos segmentos B2B, onde são denominados em sua maior parte os segmentos industriais, apresentam um crescimento anual projetado para os próximos cinco anos entre 6% a 12% ano, o que é de duas a quatro vezes o segmento de tintas arquitetônicas. São nestes segmentos onde as tecnologias de transformação do mercado deverão ocorrer. Nestes segmentos os processos se modificam em resposta as megatendências como mobilidade, cuidados com saúde, uso de materiais renováveis ou bio-componentes, nanotecnologias e outros drivers. Materiais inteligentes são desenvolvidos para se obter o desempenho e custo demandado. Segundo nossos estudos na RY & Associates, os mercados mais impactados serão os de transportes, manutenções industriais, elementos de construção, saúde e infraestrutura geral.

Um vídeo do executivo Washington Yamaga

Patrocinado por:
Sapato Site




Imprimir

Eder Fonseca

 
Diretor executivo e editor do Panorama Mercantil.