Entrevista publicada em 16/12/2019 por Eder Fonseca em Negócios
 
 

“É fundamental fazer uso da segmentação”
Alberto Pardo – CEO e fundador da Adsmovil

Alberto Pardo

Alberto Pardo é empreendedor digital e fundador da Adsmovil e Bea Digital, principais empresas de publicidade móvel da América Latina. Tem mais de 15 anos de experiência no campo de comércio eletrônico digital e publicidade, marketing na internet, comércio eletrônico, publicidade online, publicidade móvel, estratégia de negócios, negócios online latino-americanos, plataformas de anúncios online, desenvolvimento de negócios. Trabalhou em vários países da América Latina, em setores como de Search Engine Marketing, mídia on-line e mídia social. Em 2010, uma época na qual o mercado de smartphones ainda se desenvolvia, nascia a Adsmovil, empresa colombiana que oferece soluções de publicidade móvel na América Latina e Estados Unidos. Com o passar dos anos e o crescimento da relevância do mobile para as marcas, a empresa refinou sua plataforma e vem se dedicando ao desenvolvimento de projetos diferenciados, como a integração de anúncios com a plataforma Rappi. “O Brasil é um dos países onde mais se vende smartphones no mundo, além de contar com uma economia digital muito grande e no contexto mundial acredito que está avançando a passos largos. Primeiro por ter uma economia de apps sólida e de muito crescimento, empresas 100% mobile nascem todos os dias e existem várias empresas de grande porte hoje como Taxi99, Nubank ou iFood”, afirma o executivo.

 

Alberto, em que momento as plataformas móveis começaram a lhe chamar a atenção?

As plataformas móveis começaram a chamar a atenção dos usuários na América Latina desde 2015. Vale recordar que em 2014 havia mais usuários móveis do que de desktop no mundo, mas a América Latina começou seu processo um pouco depois, já que a chegada do smartphone na região demorou e tivemos os aparelhos Blackberry dominando por muitos anos.

 

Você afirmou que a publicidade móvel vai explodir. O que falta para que essa explosão aconteça com mais força?

Para que isto ocorra é necessário mais empresas apostando em mobile em três frentes: a primeira é ter uma economia de app mais forte. Está comprovado que em países onde existe um ecossistema de empresas 100% mobile (APPs), a publicidade mobile cresce. Segundo, um ecossistema de e-commerce maior. O tamanho do e-commerce de cada mercado é diretamente proporcional ao investimento publicitário de cada país. Se há mais e-commerce mobile, haverá mais investimentos em mobile. E terceiro, e talvez o mais importante, é a migração dos investimentos que são feitos em publicidade em TV para o mobile. Cada vez há mais pessoas com plataformas para ver séries, filmes e streaming de TV por meio de celulares, Ipads e outros dispositivos móveis.

 

Quais os maiores erros das empresas quando investem em publicidade mobile?

Não entender que as plataformas mobile são diferentes das demais. Tratar uma campanha mobile como se fosse uma campanha desktop, sem dúvida impactará negativamente o resultado. Mobile significa maior capacidade de segmentação, em que variáveis como geolocalização são fundamentais. Na parte criativa também há que se dar atenção especial já que o tamanho da tela é importante e há que ser considerado. E no campo da execução, o principal erro é não entender que em mobile significa fazer publicidade dentro dos aplicativos, o que é muito diferente de fazer em mobile web ou desktop.

 

O que é fundamental para o êxito de uma publicidade nos dispositivos móveis?

Compreender seus benefícios, atributos e como tirar o melhor proveito deles. É fundamental fazer uso da segmentação que os dispositivos móveis permitem, utilizar a geolocalização e entender que qualquer publicidade in-app tem benefícios únicos já que se pode integrar com as funções nativas do smartphone como o gps, a câmera, o calendário, entre outras.

 

Como a Adsmovil está situada neste mercado?

A Adsmovil é uma empresa com nove anos de trajetória. Fomos a primeira mobile-only da América Latina e somos pioneiros na utilização de tecnologias e conceitos como a geolocalização em grande escala, o Brand Safety e a publicidade em vídeo para gaming.

 

Quais os maiores pilares da organização?

Respeito, ética, colaboração, honestidade e bom ambiente de trabalho.
O fundador da AdsMovil

Desafios do Mobile: O CEO e fundador da AdsMovil, Alberto Pardo (Foto: Arquivo)

 

Os sites responsivos são uma vantagem para a publicidade em smartphones?

Eu diria que não, porque tecnicamente não podem cumprir muitas das características que tem o mundo mobile. Por exemplo, não se pode utilizar a geolocalização (somente se pode quando a publicidade é in-app), não há como saber e o ID do dispositivo, logo não se pode ter controle eficiente de alcance e frequência, não se pode integrar a publicidade com as funções nativas do celular, mas há a vantagem que se pode integrar com algumas tecnologias via TAG e não via SDK.

 

Quanto de peso a privacidade traz para uma estratégia voltada para a publicidade mobile?

A privacidade está se convertendo em um dos principais pontos em pauta. Os anunciantes, cada vez possuem mais consciência sobre a importância de cumprir as normas de privacidade e exigem das empresas de publicidade, mais transparência e compliance em relação a isso. A publicidade mobile é quase toda programática, e programática significa a utilização de dados. E exatamente por isso que os temas de privacidade se fazem fundamentais.

 

Como a publicidade móvel está situada no Brasil se compararmos com outras partes do mundo?

O Brasil é um dos países onde mais se vende smartphones no mundo, além de contar com uma economia digital muito grande e no contexto mundial acredito que está avançando a passos largos. Primeiro por ter uma economia de apps sólida e de muito crescimento, empresas 100% mobile nascem todos os dias e existem várias empresas de grande porte hoje como Taxi99, Nubank ou iFood. Tudo isso faz com que o mercado brasileiro esteja em uma fase de crescimento e de investimentos em tudo que diz respeito a mobile. E para efeito de comparação, diria que está acima dos outros mercados da América Latina, mas ainda atrás dos mercados mais desenvolvidos como Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha ou Japão.

 

O que o futuro reserva para esse mercado?

Muito promissor! Acreditamos que o mobile seguirá crescendo no Brasil em ritmo de dois dígitos nos próximos 3-4 anos e que a chegada da tecnologia 5G irá gerar inúmeras oportunidades para a indústria.

Um vídeo do executivo Alberto Pardo

Patrocinado por:
Sapato Site




Imprimir

Eder Fonseca

 
Diretor executivo do Panorama Mercantil.