Entrevista publicada em 07/08/2019 por Eder Fonseca em Negócios
 
 

“Estamos no início da nossa expansão”
Marcelo de Freitas – Fundador da Academia do Rock

Marcelo de Freitas

Com metodologia inovadora de ensino musical, a Academia do Rock tem um modelo de negócio testado e aprovado em diversas cidades, e para validar isso a empresa fez a sua estreia na ABF Franchising Expo 2019, que aconteceu de 26 a 29 de junho no Expo Center Norte, em São Paulo. Esse foi um passo extremamente importante e uma oportunidade para conhecer outros empreendedores, entender suas motivações e preocupações, além de encontrar candidatos que tenham afinidade com a franquia, que em apenas 3 anos já conta com 5 unidades em Curitiba, São Paulo, São Caetano e Santo André. “Cada vez mais as pessoas estão mudando o seu estilo de vida e a definição de sucesso passou a ser reconhecida como a habilidade de fazer aquilo que você ama”, conta Marcelo de Freitas, fundador da Academia do Rock. Abraçando o blues e o rock and roll para ensinar guitarra, violão, baixo, bateria, gaita de boca, piano, teclado e canto, a escola acredita que aprender a tocar as músicas que você realmente gosta é um incentivo para frequentar as aulas. Além disso, ao fazer parte de uma banda o aluno aprende a trabalhar em equipe, assumir compromissos e aceitar desafios. Desenvolvendo assim a sua criatividade e autoestima. “Eu defino o espírito empreendedor como um desconforto diante de problemas do dia a dia”, afirma o idealizador da inovadora escola Academia do Rock.

 

Marcelo, como se deu a mistura do seu espírito empreendedor com o espírito revolucionário do rock and roll?

Eu defino o espírito empreendedor como um desconforto diante de problemas do dia a dia. No meu exemplo foi a constatação de que as aulas de música dos meus filhos poderiam produzir um resultado melhor. Eu ficava observando a estrutura, o atendimento, os processos internos e as audições de final de ano e não estava satisfeito. Então tive a ideia de montar uma escola com foco na formação de bandas e que proporcionasse ao aluno uma experiência completa como só o rock and roll pode proporcionar.

 

Quais os maiores obstáculos para colocar essa ideia nos trilhos?

O maior obstáculo foi contar para a família que estava pensando em abrir uma escola de música. Parentes e amigos próximos não entenderam o conceito no início. Perguntavam se eu seria o professor, outros diziam que o rock já tinha morrido e alguns, por falta de conhecimento, chegaram a dizer que esse negócio não dava dinheiro. É nesse momento que o espírito empreendedor deve falar mais alto. Eu estava diante de uma oportunidade que nem todo mundo conseguia enxergar.

 

Fale um pouco do seu método de ensino que é considerado inovador.

Nosso método é dividido da seguinte forma: Garagem: é o nosso módulo inicial onde o aluno aprende as primeiras noções musicais e pratica as músicas que ama na aula individual e em ensaios com outros alunos. Stage: que é o nível intermediário. Feito para que o aluno transforme técnicas e repertório num desempenho poderoso e com confiança tanto no palco quanto em casa. Arena: que é o programa para alunos avançados com foco na performance de palco, domínio das ferramentas de criação musical, é onde o músico chega mais perto da execução musical de excelência que é a marca dos profissionais.

 

Quais os maiores pilares da Academia do Rock?

Ambiente temático, salas para aulas individuais e estúdios totalmente equipados, bons professores e metodologia própria.

 

Como a criatividade é tratada nesse ecossistema?

O aumento da criatividade é um dos benefícios obtidos por quem estuda música por isso trabalhamos questões como improvisação, composição e performance.

 

A criatividade é a mola propulsora para um negócio como o seu?

A criatividade é a mola propulsora para qualquer negócio. Boas ideias atraem talentos, geram excelentes peças publicitárias e encontram soluções para problemas cotidianos.
Fundador da Academia de Rock

Rock: O fundador da Academia de Rock, Marcelo de Freitas (Foto: Divulgação/AP)

 

Você afirmou que não queria investir em um negócio só por dinheiro. Em que momento esse anseio apaixonado se tornou mais forte?

Eu já tinha outros negócios e uma vida confortável quando resolvi encarar esse novo desafio. Eu buscava realização pessoal e minha definição de sucesso era conseguir obter lucro fazendo aquilo que realmente gosto.

 

O que é essencial para quem quer ser franqueado pela Academia?

O candidato deve ter afinidade com o negócio, mas não precisa ser músico. Ele deve ser empreendedor, ter capacidade de liderança, disponibilidade de tempo e dinheiro para investir.

 

A crise afetou o seu negócio em algum ponto?

A crise afetou o segmento de serviços como um todo. Escolas particulares, cursos de idioma e obviamente escolas de música. Contudo, por conta do nosso posicionamento em nenhum momento a escola deixou de ser lucrativa.

 

Quais os próximos passos da Academia?

Estamos no início da nossa expansão e pretendemos fechar 2019 com 10 unidades. Além disso, este ano vamos lançar novas apostilas, incluir novas funcionalidades em nosso aplicativo e pretendemos realizar a nossa primeira convenção de franqueados.

 

O objetivo da Academia do Rock é realizar sonhos. Esse objetivo tem sido realizado conforme tinha ambicionado no início do projeto?

Em nosso último Festival Rock Hour realizado no Hard Rock Café em Curitiba apresentamos 47 bandas com alunos de todas as idades. O evento que reuniu mais de 650 pessoas durante 7 horas com muito rock and roll. O feedback recebido demonstra que estamos cumprindo com o nosso objetivo.

Um vídeo do empresário Marcelo de Freitas

Patrocinado por:
Sapato Site




Imprimir

Eder Fonseca

 
Diretor executivo e editor do Panorama Mercantil.