Entrevista publicada em 08/01/2020 por Eder Fonseca em Negócios
 
 

“Há mercado para todos”
Victor Minaya – CEO da startup Labute

Victor Minaya

Segundo dados divulgados pela companhia de Planejamento do DF (Codeplan), no fim de setembro de 2019, a economia do Distrito Federal estava apresentando melhora, o índice de desempenho econômico fechou o segundo trimestre de 2019 com uma alta de 1,7% se comparado ao mesmo período de 2018. Porém, ainda segundo a pesquisa o desemprego não recuou, são 313 mil desempregados em todo DF. Na contramão da crise, aplicativos se tornam uma alternativa eficaz para driblar o problema e até garantir uma renda extra no fim do mês. É nesse contexto que surge a Labute, a startup pioneira no DF inova e oferece dois aplicativos: Labute para cliente e LabutePro para prestadores de serviços. Por meio da plataforma online, os clientes poderão realizar pedidos de orçamentos e pagamentos dentro do próprio app com toda a segurança fornecida pelo sistema. À primeira vista, os prestadores cadastrados passam por uma avaliação de currículo, experiência e análise documental para ingressar. É possível se inscrever em mais de uma categoria, caso o profissional atue em mais de uma área. O software garante busca de prestadores, além de solicitações em mais de 20 segmentos diferentes de serviços como alimentação, eventos, informática, saúde, serviços domésticos, transportes, etc. Segundo Victor Minaya, CEO da Labute: “Não há nenhum aplicativo operando nessa categoria no Distrito Federal”.

 

Victor, qual foi o impulso inicial para você se tornar empreendedor?

Desde criança, já tinha cabeça de empreendedor. Aos 10 anos de idade montei uma livraria em meu quarto e alugava os livros para minha própria família em troca de centavos, era uma brincadeira, mas também os primeiros sinais do desejo de montar meu próprio negócio. Com 20 anos, durante o curso de administração, montei minha primeira empresa de cursos de informática para idosos e crianças. Ela foi apenas a porta de entrada para o mundo do empreendedorismo, me envolvi pra nunca mais sair.

 

Como enxerga o atual momento do empreendedorismo em nosso país?

Temos dados interessantes que embasam a ideia de que empreender é uma saída muito importante para a crise atual do país. No DF, por exemplo, temos 313 mil desempregados, somado a isso o fato de que aplicativos de serviços juntos, são atualmente o maior ‘empregador’ do país. Ou seja, uma alternativa de garantir fonte de renda para milhões de autônomos. Vejo o empreendedorismo como uma grande oportunidade de crescimento e entendo que, havendo as condições necessárias, há mercado para todos.

 

Quando surge a ideia da Labute?

A ideia veio da necessidade de encontrar serviços eficientes em um curto prazo e com boas indicações de pagamento. Quando morava sozinho, resolver questões práticas do dia a dia como um ar condicionado quebrado, providenciar uma faxina, ou mesmo um projeto para a reforma do apartamento poderia levar muito tempo. Levantar orçamentos, encontrar profissionais competentes e com boas referências exigia pesquisa e muitas vezes nem assim o resultado era satisfatório. Além disso, a simples busca por profissionais na internet não garantem um bom serviço. Eu queria não só poder escolher, mas também decidir pela qualidade, segurança e pelo preço. Percebi que esse não era um problema só para mim, para muitos amigos também. Aí veio a ideia da Labute.

 

Quais os principais pilares da startup?

Nossos pilares estão baseados em nossa missão, visão e valores. Valores: Dedicação, respeito, qualidade, competência, integridade, dignidade, cooperação, ética, excelência e responsabilidade. Levamos eles a sério e queremos transmitir isso ao público e colaboradores. Missão: Oferecer ao cliente a contratação de serviços com agilidade, segurança e eficiência. Visão: Expansão para outros estados, ampliando o escopo e capacidade de desenvolvimento socioeconômico de outras regiões.

 

E quais as principais diferenças e similaridades da Labute (para os clientes) e da LabutePro (para prestadores de serviços)?

Os aplicativos são parecidos, enquanto pelo Labute (para clientes) é possível solicitar serviços, buscar prestadores, gerenciar orçamentos e realizar o pagamento; pelo Labute Pro, os prestadores terão acesso às categorias de serviços para buscar os serviços solicitados, receberão notificações de solicitações para sua categoria cadastrada, com possibilidade de gestão de propostas de trabalho. Ambas são plataformas de fácil manuseio para organizar seus pedidos de serviços, com segurança contratual e muito mais visibilidade de mercado.

 

Muitos aplicativos não trazem os resultados esperados pela complicada usabilidade e com isso não conseguem exercer todo o seu potencial. Foi por essa razão que o aplicativo foi criado para ser simples e intuitivo?

Sim, caso o usuário possua alguma dificuldade na prestação de serviço, há um chat direto entre cliente e prestador para dirimir as dúvidas e acertar detalhes de serviços. Além disso, o usuário poderá contar com o atendimento da equipe Labute em todo o processo desde o cadastro até a avaliação do prestador ao final do serviço.
startup Labute

Aplicativo Ambicioso: Página da recém-lançada startup Labute (Foto: Divulgação)

 

Não existem aplicativos no DF operando nessa categoria. Ser o primeiro nesse mercado é primordial?

Ser pioneiro na intermediação de serviços no DF é primordial para a Labute. Sabemos que há espaço para todos desenvolverem seus negócios e acreditamos que todos os prestadores de serviço merecem ser vistos e buscados pela sua excelência e capacidade. Nosso sucesso está atrelado ao dos colaboradores da Labute. Nossa obrigação é oferecer oportunidades de trabalhos a todos, contribuindo e melhorando as condições de renda da população.

 

Quais os principais obstáculos que tiveram que ser suplantados para a ideia ser implementada?

O sistema em si já constitui uma arquitetura complexa, focamos no simples e intuitivo, e através do “user experience” estamos sempre realizando atualizações. “User experience” é um termo utilizado para identificar e registrar a usabilidade do aplicativo através da experiência do usuário. Tivemos muitos obstáculos com a parte contratual, mas junto a nossa assessoria jurídica conseguimos superá-los durante a elaboração do projeto. Obstáculos sempre irão surgir, mas vamos focar na solução rápida e qualitativa voltada ao cliente.

 

Como será a funcionalidade de geolocalização que será implementada ainda neste ano?

A funcionalidade de geolocalização será desenvolvida para afunilar os prestadores de serviço, baseado na localização do cliente. Dessa forma, o cliente poderá ter acesso aos prestadores disponíveis na sua região e o prestador terá acesso às solicitações mais próximas de sua localidade para atender com eficiência e rapidez.

 

A expansão da plataforma para outros estados será o próximo passo?

A expansão da plataforma para outros estados está em nosso planejamento de médio prazo.

 

O que lhe motiva diariamente para a busca desse e de outros objetivos?

O que me motiva é a satisfação de ver que este projeto promete ajudar muitas pessoas no futuro. É construir uma realidade onde as pessoas se sintam mais seguras e tenham mais praticidade e conforto na palma das mãos.

Um vídeo do empreendedor Victor Minaya

Patrocinado por:
Sapato Site




Imprimir

Eder Fonseca

 
Diretor executivo do Panorama Mercantil.