Entrevista publicada em 03/02/2020 por Eder Fonseca em Publicidade
 
 

“Não existe imponderável pra mim”
Conrado Cotomácio – Diretor executivo de criação da Jüssi

Conrado Cotomácio

Antes de ser um dos integrantes do time de criação da Jüssi, Conrado Cotomácio atuou em agências como E/OU-MRM (onde teve a oportunidade de trabalhar em projetos globais para McCann Wordgroup), Tudo, Riot e Memo. Em seu portfólio estão projetos para Absolut, Chevrolet, Google, Itaú, LG, L’Oréal, Microsoft, Nike, Pepsico, Redbull, Shell, Spotify e Uber. Somando a experiência adquirida e seu perfil profissional, passou a palestrar em eventos do mercado e em universidades sobre o futuro, o uso de criatividade somada a tecnologias como o IBM Watson e como essas inovações mudarão os negócios. O profissional ainda tem cursos na Escola Panamericana de Arte, Cuca, Miami Ad School, Perestroika e Hyper Island, indo além da direção de arte, com expertise também em 3D, marketing direto e digital, live marketing, CRM, design, branding digital, entre outras disciplinas da comunicação. A Jüssi está dentro do Grupo WPP, sob o guarda-chuva da Ogilvy. Adquirida em 2015 pelo grupo, a agência cresceu e viu seu faturamento quadruplicar no período, sendo uma marca de destaque da organização britânica. “Não somos tão imprevisíveis assim, o ser humano é uma caixa de surpresa para quem não sabe como ele funciona. Meus métodos criativos são pautados em análise de dados, interpretação de impulsos e resposta cognitivas, é tanto método que criar pra mim, virou algo mais cientifico do que artístico”, afirma o criativo.

 

Conrado, o que é fundamental para chamar a atenção num mundo com tantas dispersões e opções?

Objetividade, e relevância. Acho que está todo mundo brigando por atenção quando deveríamos estar brigando para sermos úteis e relevantes para as pessoas. Quando faz algo que é relevante na vida da pessoa, você vai se destacar.

 

O que é essencial na vida de um criador?

Novidade! Criatividade é a soma de coisas diferentes que não foram somadas antes, então novidade é a chave para exercitar a criatividade.

 

No que a publicidade está pecando na hora de criar para o mundo digital?

Achar que o digital é um desdobramento do offline.

 

Você já afirmou que anunciantes e agências sofrem com a inconstância. Como essas duas pontas devem tirar proveito dessa inconstância?

A única constância é a inconstância. Não acho que se tire proveito da inconstância, mas ser flexível, rápido, ágil e sempre alimentar a inquietude e a inovação é uma forma de antecipar a mudança e estar preparado pra ela.

 

Como você cria os seus trabalhos no meio de tanta incerteza?

Não somos tão imprevisíveis assim, o ser humano é uma caixa de surpresa para quem não sabe como ele funciona. Meus métodos criativos são pautados em análise de dados, interpretação de impulsos e resposta cognitivas, é tanto método que criar pra mim, virou algo mais cientifico do que artístico.

 

Isso se torna angustiante em algum sentido?

Não. É divertido!
O criativo

Dados: O criativo Conrado Cotomácio da agência Jüssi (Foto: Arquivo Pessoal/AP)

 

Qual o principal pilar da Jüssi em sua visão?

Falamos aqui que somos Centrados no ser humano e Orientados a negócios. Essa visão de resultado e objetivo nos impulsiona para uma criação relevante para as pessoas e para o negócio. No final do dia, o que fazemos é vender. Gosto da ilusão do criativo que cria e inventa coisas divertidas e emocionantes, mas no final nosso objetivo é vender, e nós aqui temos isso em mente sempre, como eu conecto pessoas a marca e a marca a pessoas.

 

Como esse pilar casa com aquilo que acredita ser o caminho ideal para a publicidade no momento em que vivemos?

Como disse a cima. Nosso objetivo é conectar pessoas e negócios e não vender uma ideia legal que funciona muito bem em um festival, isso parece frustrante às vezes, é uma missão que não é para qualquer pessoa.

 

Qual o poder do imponderável em uma criação?

Tudo é mensurável! Só precisamos entender a régua certa para medir. Um sorriso pode ser uma métrica, um xingamento, um like, não existe imponderável pra mim.

 

Muitos dizem que uma ideia não vale muito, já que o que vale é a sua execução. Como fazer essa ideia ser bem executada num ecossistema tão complexo como atual?

Eu digo isso também. Como fazer uma boa ideia ir pra rua, ser executada? Resiliência!

 

Como a inteligência de dados e a criatividade andam juntas em uma agência como a Jüssi?

Uma coisa está integrada totalmente com a outra. Para criar uma comunicação relevante, precisamos entender momento da jornada, comportamento, tendências e estarmos bem alinhados dentro desse mindset.

Um vídeo da agência Jüssi

Patrocinado por:
Sapato Site




Imprimir

Eder Fonseca

 
Diretor executivo do Panorama Mercantil.