Entrevista publicada em 13/09/2019 por Eder Fonseca em Design
 
 

“Não existe uma única fonte”
Giovanni Vannucchi – Sócio-fundador da Oz estratégia+design

Giovanni Vannucchi

Nascido em Florença, na Itália, Giovanni Vannucchi estudou, se especializou e empreendeu no Brasil, onde se tornou uma das principais referências no universo do design. Arquiteto de formação, há 40 anos abriu as portas da Oz estratégia+design, empresa que usa o design como elemento de conexão entre marcas e consumidores. Um dos mais recentes trabalhos idelizados por Vannucchi é a nova identidade visual do Clube Atlético Paranaense (atual Clube Athletico Paranaense). “Esse trabalho para o Atlético Paranaense nos permitiu a construção de uma identidade visual consistente a partir de uma grande imersão nos valores do clube. Através de um processo de investigação conseguimos estruturar um posicionamento alinhado com os atributos da marca. Identidade visual, uniformes, tipografia, distintas aplicações tudo foi desenvolvido a partir desse alinhamento. Com certeza um momento especial não só na história do Atlético Paranaense, mas para o futebol brasileiro como um todo”, diz Vannucchi. Para o Panorama Mercantil ele ainda afirma com exclusividade: “Uma solução criativa é consequência de toda uma análise anterior sobre o problema a ser abordado. Sem ter muito claro todos os elementos estruturais que fazem parte de cada projeto teremos apenas uma solução “criativa” vazia de conteúdo que não fará sentido para nenhuma das partes a serem impactadas pelo projeto”.

 

Giovanni, como você definiria a sua missão como diretor criativo da Oz estratégia+design?

É importante deixar que os designers desenvolvam seus projetos seguindo seu próprio fluxo criativo. Ao começar um trabalho nos reunimos primeiramente para entender e aprofundar as questões relativas ao projeto: objetivos, público, atributos, extensões e outras análises importantes para que tenhamos o maior número de informações: o processo criativo tem que estar bem fundamentado. A partir daí, durante o processo de criação, meu papel é o de um agente externo que, por não estar diretamente executando o projeto, consegue ter um olhar analítico e sugerir elementos que façam sentido com todos os pontos a serem comunicados pelo projeto, somando dessa forma ao trabalho sendo criado.

 

O que é fundamental para manter a criatividade sempre em alta?

Criatividade é um pouco como falar línguas ou fazer exercícios físicos: se você não pratica acaba perdendo a dinâmica. E não precisa ser só na sua atividade profissional. Existem oportunidades imensas ao nosso redor, pode ser num hobby, pode ser brincando com os filhos… todos têm a capacidade de serem criativos, é só ficar atento às possibilidades.

 

Quais as suas principais influências para desenvolver um espírito criativo?

O universo está aí para nos abastecer de informações para estimular a criatividade. Não existe uma única fonte. Eu particularmente adoro ir às exposições: de arte, de fotografia, de design. Mas música, a moda das ruas, um espetáculo de dança, viajar para outros lugares e conhecer culturas diferentes, entre outras referências, com certeza ampliam nosso repertório e ajudam a pensar de outras maneiras.

 

A criatividade é algo que vem mais de aspectos internos ou externos em sua visão?

Eu diria que é um misto das duas coisas: ampliação de repertório e referências somada a um movimento interno de se deixar tocar por essas informações e assim gerar novas possibilidades.

 

Quais os principais pilares da Oz?

Ética: que nem deveria ser um diferencial, mas que nos desanimadores tempos atuais é sempre bom reafirmar. Excelência: nunca desenvolvemos um trabalho para simplesmente resolver um problema, mas sempre tentando buscar o máximo como resultado, seja em termos de inteligência ou em termos criativos e estéticos. Relacionamentos de qualidade: com nossos colaboradores e com nossos clientes, relacionamentos que em ambos os casos se mantém durante anos seguidos. E, fundamental, bom humor! Com ele fica muito mais fácil trabalhar, se relacionar, ser criativo.

 

Esses pilares foram obtidos com o tempo ou eles estão desde o começo da organização?

Com certeza são pilares base sobre os quais toda nossa história se construiu. Todo resto é consequência dessa coerência em seguir essas diretrizes ao longo dos anos.
Identidade visual

Criações: Vannucchi apresentando a identidade visual do CAP (Foto: Albari Rosa)

 

Como você definiria aquilo que a consultoria idealizou como criatividade fundamentada?

Uma solução criativa é consequência de toda uma análise anterior sobre o problema a ser abordado. Sem ter muito claro todos os elementos estruturais que fazem parte de cada projeto teremos apenas uma solução “criativa” vazia de conteúdo que não fará sentido para nenhuma das partes a serem impactadas pelo projeto.

 

Quais os maiores desafios das marcas atualmente?

Estamos em uma era de grandes transformações: tecnológicas, comportamentais, culturais. Os consumidores estão cada vez mais exigentes, empoderados e atentos a como as marcas se posicionam. É importante elas assumirem posições claras e verdadeiras. Hoje em dia tem muito menos valor o que a marca comunica e muito mais o que aparece no Google sobre ela.

 

Como a inovação está colocada neste âmbito?

Sinceramente considero essa palavra “inovação” completamente desgastada. Existe um total frenesi por inovação: congressos, comitês nas empresas, cursos… Mas o que é efetivamente inovação? Ações são anunciadas como inovadoras quando, na verdade, são absolutamente superficiais. O fundamental é que a ação inovadora tenha um impacto verdadeiro.

Pode ser uma ideia, como a empresa de bicicletas Vanmoof que “simplesmente” imprimindo uma imagem de uma televisão na embalagem reduziu em 80% as perdas no transporte. Ou um projeto como Melissa One by One, que consumiu três anos de estudo, mas quebrou completamente o paradigma de que sapatos devem ser vendidos aos pares: você pode comprar um número impar uma vez que o mesmo sapato serve para ambos os pés e assim você pode fazer diferentes combinações.

 

O que é fundamental para que uma ação de branding tenha êxito?

Retomando o que disse anteriormente, uma ação de branding terá êxito apenas se ela expressar a verdade da marca/empresa. É fundamental para isso uma compreensão clara dos valores, atributos e diferenciais da marca. Um branding que, ao invés de seguir com consistência o posicionamento da marca, apenas aplique uma maquiagem terá com certeza vida curta.

 

Diria que o “farol” da Oz é a mescla do espírito inovador com a experiência acumulada?

Com certeza. Ao longo de nossas décadas de história tivemos contatos com as mais variadas categorias de empresas e produtos. Os milhares de projetos desenvolvidos nos deram a oportunidade de nos defrontar com questões de características particulares. Isso nos deu um repertório gigantesco que, somado a uma busca incessante pelo que há de mais atual, nos permite desenvolver projetos com a complexidade e excelência que os tempos atuais exigem.

Um vídeo desenvolvido pela Oz

Patrocinado por:
Sapato Site




Imprimir

Eder Fonseca

 
Diretor executivo e editor do Panorama Mercantil.