Entrevista publicada em 13/11/2019 por Eder Fonseca em Negócios
 
 

“O mercado está retomando seu potencial”
Fred De Cunto – Diretor executivo da Feira Ópera

Fred De Cunto

Reconhecida no mercado B2B por seu diferencial de atendimento e inovação tecnológica, a Feira Ópera chegou na semana passada a 30ª edição consolidando seu formato diferenciado de feira de negócios, aproximando indústria e varejo, oferecendo oportunidades únicas de network e conhecimento de mercado com desfiles, workshop de especialistas e conteúdo de relevância. Com 15 anos de história e graças ao foco no B2B, o evento se apresenta como a mais importante feira de negócios do mercado infantil. Frederico De Cunto, diretor executivo da Feira Ópera, declara: “A cada ano o crescimento dos negócios realizados consolida ainda mais o formato da nossa feira e valida o trabalho realizado pela equipe. Focamos esforços para investir em inovações e simplificação do processo para oferecer qualidade com custo justo. Dedicamos nosso empenho em promover bons negócios de forma descomplicada, entregando bons serviços e a melhor experiência, tanto para os lojistas quanto para os expositores”, ressalta o diretor. Para os expositores, a Feira Ópera é a oportunidade ideal de apresentar os diferenciais de seus produtos, de forma padronizada, e seguindo o “fair play” que baliza as negociações realizados no evento, oferecendo as melhores oportunidades de negócios. “Em cada uma dessas 30 edições vemos que os negócios gerados se expandiram, mesmo após a feira”, declara De Cunto.

 

Fred, como um empresário deve estar preparado para sobreviver e crescer no mercado brasileiro de modo geral?

Aprendi muito cedo, vendo meus pais administrarem o negócio da família, que “é na crise que se cresce”. Tirei dessa frase o ensinamento de que é imprescindível focar a administração de modo a eliminar desperdícios, criar mecanismos produtivos mais eficientes, cuidar da gestão de pessoas, manter relações comerciais justas e transparentes, buscar parceiros pela sua qualidade e seriedade, oferecer o melhor serviço/produto pelo preço mais justo, priorizando a relação ‘ganha-ganha’ de forma que todos possam manter seus negócios produtivos e rentáveis para que toda a cadeia produtiva se mantenha bem-sucedida.

 

Quais foram os seus grandes insights para estar alcançando primeiro a sobrevivência e depois o crescimento em seu mercado de atuação?

A nossa ideia desde o início foi fazer um modelo de feira diferenciado, que naquela época (15 anos atrás) não era usual para o mercado de feiras. Buscávamos um formato que privilegiasse exclusivamente a promoção de negócios e, para tanto, foi preciso quebrar alguns paradigmas. Apostamos na padronização dos estandes, buscamos por fornecedores com a melhor relação custo-benefício e chegamos a um preço justo. Além disso, damos assistência o ano todo para nossos expositores e lojistas, promovemos network entre eles e com isso criamos uma cadeia que gera negócios o ano todo. Acredito que este seja o motivo da Feira Ópera chegar a sua 30ª edição como a melhor e maior feira no segmento infantil do país.

 

O que foi o seu norte como empresário e que você jamais abriu mão mesmo em momentos difíceis da sua jornada?

O formato diferenciado de feira, o mix de produtos, de acreditar nos pequenos empreendedores e sempre ter algo novo para apresentar em cada edição – estes foram o nosso norte nesses 15 anos. E nunca abrimos mão da qualidade e do preço justo para todos – clientes e fornecedores.

 

Os caminhos que levam ao êxito de um negócio passam necessariamente por quais lugares?

Manter-se firme em seu propósito, ter foco, buscar ser justo em suas negociações, acreditar no seu feeling e não se deixar abater pelas opiniões alheias (eu ouvi muitos nãos e nunca acreditei neles).

 

Qual o principal pilar da Feira Ópera em sua visão?

O principal pilar da Feira Ópera é o networking que é feito entre expositores e lojistas, além da forma como nos relacionamos com eles. Temos um atendimento humanizado para os nossos clientes.

 

Como a inovação foi absorvida pela Ópera?

A inovação sempre foi um ponto importante para nós, pois, desde o começo de nossa história trabalhamos no aprimoramento do nosso aplicativo que, além de passar informações importantes e agilizar o tempo dos lojistas durante a feira, os mantém em contato com os expositores durante todo o ano. E agora, desde a edição passada, possibilita que os lojistas que não possam comparecer à feira visitem os estandes das marcas do seu interesse, em um tour virtual – o que também gera bons negócios para ambos.
A Ópera

Feira: A Ópera movimenta mais de R$ 200 milhões anualmente (Foto: Arquivo/AP)

 

Vocês completaram 30 anos de feira. O que esteve no DNA da 30ª edição e que também esteve na primeira?

Desde do início, nós acreditamos na Feira Ópera e nos seus diferencias como negócio. Ao longo do tempo, nós só fomos aprimorando conforme a feira foi crescendo. O nosso DNA é fazer negócio entre os expositores e os lojistas, fazer de verdade o B2B para que todos ganhem e cresçam juntos com a Feira Ópera.

 

Como a Ópera está vendo o mercado de B2B em nosso país?

O mercado esta retomando seu potencial aos poucos, de uma forma mais inteligente e organizada. Estamos otimistas mas com os pés no chão.

 

Qual o principal diferencial da Ópera no mercado B2B?

O formato diferenciado de “fair play”, o preço justo para os expositores, a setorização da feira e a forma de assessorar os nossos expositores durante o ano todo e o nosso principal objetivo que é promover bons negócios entre os expositores e os lojistas.

 

O que os lojistas e expositores levaram dessa 30ª edição?

Para esta edição especial preparamos palestras com os melhores profissionais do mercado para agregar conhecimento aos lojistas (compra, vitrinismo, atendimento ao público e vendas), desfiles das principais marcas expositoras, os lançamentos das melhores marcas do mercado para que o lojista encontrasse tudo o que precisava para suas vitrines, além do Ópera Conecta – o aplicativo que leva a feira até o lojista por meio da tecnologia.

 

Quais as marcas deixadas nesses 15 anos de trabalho com a Feira Ópera e que faz você acreditar que esteve sempre no rumo certo?

Desde o início acreditei no nosso modelo de negócio, no formato inovador e diferente do que se usava. Acreditar que éramos também responsáveis pelo sucesso do mercado como um todo foi um desafio constante, mas que hoje se mostra uma estratégia vencedora. Chegarmos na 30ª edição como a melhor e maior feira do setor, e ainda servir de modelo para outras feiras, prova que nossa ideia principal estava correta e hoje valida o sucesso da feira para todos.

Um vídeo da Feira Ópera

Patrocinado por:
Sapato Site




Imprimir

Eder Fonseca

 
Diretor executivo e editor do Panorama Mercantil.