Entrevista publicada em 31/07/2019 por Eder Fonseca em Negócios
 
 

“O mundo vive um contexto vibrante”
Alessandra Alkmim – Cofundadora da Plataforma Mulheres do Futuro

Alessandra Alkmim

Alessandra Alkmim é founder do Método de Empoderamento de Mulheres, cofundadora da Plataforma Mulheres do Futuro, cofundadora da Startup ADDHERE, cofundadora da Escola de Palestrantes, Diretora Plena da ACMinas, presidente do Conselho Empresarial da Mulher Empreendedora da ACMinas, polímata e palestrante, estudante de Futuros e Humanista, mestranda em Gestão em Educação Superior e Certificação Mentoring – Mentora de Desenvolvimento de Mulheres, facilitadora Learning 3.0, com licença internacional da Happy Melly – Rede Mundial de Educação Criativa (Amsterdã), educadora criativa e conteudista, mestre de cerimônias, moderadora e roteirista. Os eixos do conhecimento em que atua são: Futurismo, Mundo VUCA, Criatividade, Inovação, Empoderamento Feminino, Empreendedorismo, Intraempreendedorismo e Design Thinking. Participou do desenvolvimento de dois projetos internacionais promovendo o intercâmbio cultural entre a China e os Emirados Árabes. Morou em Abu Dhabi no período de maio a julho de 2009 para apresentação do projeto e reuniões com o governo. Participou do projeto “DMT na Copa do Mundo FIFA 2014”, onde ministrou treinamento motivacional para as equipes de alimentos e bebidas que trabalharam nos estádios das doze cidades sede. Foi responsável pelo treinamento de 2.000 colaboradores em SP.

 

Alessandra, você se considera uma multiempreendedora. Quais pilares são essenciais para os desafios do multiempreendedor no século XXI?

Sim, me considero uma multiempreendedora e essa denominação no futuro terá outro nome: polímata. Por isso já me considero uma polímata que empreende em diversas frentes de negócios. Os pilares essenciais para os polímatas no futuro serão: aprendizagem contínua (já dizia Alvin Toffler: “o analfabeto do século XXI não será aquele que não consegue ler ou escrever, mas aquele que não consegue aprender, desaprender e reaprender”). E a aprendizagem contínua será condição de sobrevivência para os profissionais na próxima década.

 

O século XXI é conhecido por muitos como o século das incertezas. O que é fundamental para um empreendedor vencer essas incertezas?

O mundo vive um contexto vibrante de volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade, mais conhecido como Mundo VUCA (acrônimo que surgiu no vocabulário militar americano para traduzir os cenários caóticos e incertos dos campos de guerra), que gira freneticamente em modo Templosion (termo cunhado pela futurista Edie Weiner autora do livro “FutureThink”, onde transformações muito grandes estão acontecendo e sendo atualizadas em períodos curtos de tempo), e isso nos leva a crer que a incerteza será a única certeza que teremos daqui pra frente.

E para a sobrevivência em cenários de caos e desordem como esse, nada como um “antídoto contra o VUCA” para empreendedores prosperarem no século XXI que são definidas em 4 competências: visão ou VISION (capacidade de ter foco, crença em si mesmo e nos outros e visão compartilhada alinhada às habilidades de conexão e comunicação), entendimento ou UNDERSTANDING (capacidade de análise e entendimento de ambientes incertos e altamente complexos, curiosidade para ver o mundo com outros olhos e questionar o Status quo sempre, é o eterno aprendiz), clareza ou CLARITY (habilidade do líder de ter clareza do contexto complexo onde está inserido, através de um pensamento sistêmico dentro de uma perspectiva holística) e agilidade ou AGILITY (líderes devem ser ágeis em suas decisões, porém, pautados na confiança e no risco das consequências, a agilidade envolve a capacidade de inovação, determinação e empoderamento, e o líder deve ser ágil em identificar o que precisa aprender para depois compartilhar o aprendizado com sua equipe).

 

Acredita que essas incertezas são oriundas de fatores internos ou externos?

São oriundas de diversos fatores, tanto internos quanto externos, as influências vêm de diversos condicionamentos, tanto da nossa capacidade interna de lidar com nossos problemas complexos de adaptação e flexibilidade nesse novo mundo, quanto dos cenários econômicos, políticos, culturais e sociais instáveis que vivemos diariamente e que nos tira a estabilidade de fazer planos a médio e longo prazo.

 

O quão é importante delegar funções para um multiempreendedor?

Gosto de citar Chris Lowney no seu livro “Heroic Leadership: Best Practices from a 450-Year-Old Company That Changed the World” (Liderança Heroica: Melhores práticas de 450 anos da Companhia que mudou o mundo) sobre os 4 valores de liderança dos jesuítas que estão muito conectadas com o novo líder multiempreendedor do futuro, ou polímata. São elas: autoconhecimento (primeiro de tudo, líderes devem conhecer suas forças e fraquezas, valores, visão de mundo, e assim por diante, e entender que seus colaboradores podem mais do que ele e ter a humildade de aprender o que ainda não sabe e delegar de forma coletiva); inventividade (líderes se adaptam com confiança/segurança ao mundo em mudança; heroísmo (líderes motivam-se uns aos outros com paixão, ambição e compromisso para com metas que são maiores que qualquer pessoa; amor (líderes tratam os outros de modo a respeitar sua dignidade humana e tentam desbloquear seus potenciais).

 

No que consiste o Método de Empoderamento de Mulheres?

O Método MAI ou Mentoring de Alto Impacto, é um método único, revolucionário e inovador, de empoderamento feminino, para mulheres que desejam alcançar sucesso, equilíbrio emocional, prosperidade e abundância em suas vidas. O MAI ajuda mulheres a se tornarem líderes de suas vidas e empreendedoras de sucesso no futuro. O MAI estará disponível em breve na área de membros da plataforma Mulheres do Futuro.

 

Quais foram as centelhas iniciais para que esse método fosse colocado em prática?

Antes de te apresentar esse método eu percorri uma longa jornada de busca e descobrimento. Foram seis anos de pesquisa, de descobertas surpreendentes, de observação, de aprimoramento, de conexões autênticas, de estudos e autodesenvolvimento para encontrar o caminho certo para o meu autoconhecimento e crescimento profissional. Testei o método com algumas mulheres e o aprimorei através de apresentações, mentorias e palestras pelo Brasil. E identifiquei ao longo dessa jornada de descobrimento e aprimoramento do método, que havia muitas e muitas mulheres que (como eu) estavam em busca de alguém ou algum curso relevante e de impacto na internet para ajudá-las a se tornarem mulheres empreendedoras de sucesso, atualizadas e, acima de tudo empoderadas, e que não conseguiam encontrar tudo num lugar só, e no final acabavam ficando perdidas de tanta informação desencontrada. E também havia outras mulheres que não conseguiam visualizar o seu futuro porque não tinham ideia do que realmente era importante para suas vidas, e daí se perguntavam todos os dias o que elas precisavam aprender para dar o primeiro passo rumo a um futuro de sucesso.
A empreendedora

Multiempreendedora : A polímata e criativa, Alessandra Alkmim (Foto: Arquivo/AP)

 

Como um negócio deve estar preparado para o chamado Mundo VUCA?

Conhecimento ampliado e conectado diariamente com as transformações, reinvenção e atualização do seu modelo de negócios de acordo com as mudanças e inovações constantes, entendimento dos cenários instáveis e voláteis em que está inserido, engajamento das equipes de forma colaborativa e multidisciplinar e participação no ecossistema de empreendedorismo, inovação e tecnologia para entender onde estamos, o que devemos fazer e para onde iremos com as atualizações constantes e vibrantes do Mundo VUCA.

 

Qual o papel da criatividade nesse ecossistema?

A criatividade será uma das competências mais valorizadas do século XXI. Quando nos assustamos com a realidade de que a Inteligência Artificial irá roubar 1,8 bilhões de vagas de emprego, vale saber que ela irá trazer 2,3 bilhões de oportunidades, portanto, aproveite essas oportunidades para usar a criatividade a seu favor, deixando de ficar no campo de geração de ideias e partindo para o campo de testes, experimentação e prototipação.

 

A inovação é o fator de diferença num mercado de alta competitividade?

Sim, e sempre será, aquilo que traz melhorias para alguma dor, que resolve problemas, que captura valor, é uma inovação que faz toda a diferença em cenários competitivos.

 

Fale um pouco do seu trabalho como Mentora MAI.

De uma coisa eu tenho a absoluta certeza: se o MAI não tivesse mudado a minha vida e de muitas mulheres que foram mentoradas por mim e que aplicaram tudo o que aprenderam em suas vidas através desse método, eu não estaria aqui falando dos resultados incríveis e transformadores que eu obtive em pouco tempo desde que criei o MAI. Foi por isso que eu criei o Método MAI – Mentoring de Alto Impacto, porque sem ele, e sem ter vivido tudo o que vivi ao longo dos últimos seis anos, eu não teria a menor ideia de como ajudar outras mulheres a se empoderarem de si mesmas. Eu nem consigo imaginar como eu estaria nesse exato momento. E hoje, depois de um processo intenso e delirante de mudanças, conexões e sobrevivência, reconheço-me como uma mulher bem-sucedida na vida pessoal e nos negócios. Hoje sou uma multiempreendedora que atua em projetos de Empoderamento Feminino em todo o país e no exterior. Sou presidente do Conselho Empresarial da Mulher Empreendedora da ACMinas – Associação Comercial e Empresarial de Minas. Sou cofundadora da plataforma Mulheres do Futuro, cofundadora da Escola de Palestrantes e cofundadora da Startup ADDHERE. Sou uma estudante de Futuros, humanista, mentora de Negócios de Alto Impacto para Mulheres, palestrante inspiracional, escritora (meu primeiro livro sai em breve), conteudista e mestranda em Gestão em Educação Superior pela UCES (Universidad de Ciencias Empresariales y Sociales) em Buenos Aires/Argentina. Em 2018 recebi o prêmio da Fundação Malala Yousafzai nas categorias Empreendedorismo e Educação Corporativa.

Eu me tornei uma mulher empoderada e que não tem medo das mudanças, já que decidi adotar a inovação nos negócios como meta e a atitude empreendedora como regra na vida profissional. Em um mundo cada vez mais instável, volátil, complexo e ambíguo, a capacidade de se adaptar tornou-se imprescindível para o sucesso nos negócios. Depois de toda essa transformação e de ter colocado meus conhecimentos adquiridos em prática através do método MAI, eu recebi uma chuva de feedbacks positivos por onde passei e um monte de mulheres se identificando com a minha história. Foi aí que eu percebi que eu tinha uma missão nessa vida: compartilhar o método MAI com o máximo de mulheres possível para ajudá-las na sua mudança de vida, no seu empoderamento. Então decidi compartilhar tudo isso na plataforma Mulheres do Futuro. Com uma equipe bem estruturada e capacitada no mundo online, eu estava pronta para começar a divulgar o método. Havia chegado a hora. O método revolucionário MAI (Mentoring de Alto Impacto) surgiu para transformar a minha vida e ele vai transformar a vida de muitas mulheres!

 

Como fazer o empoderamento feminino e o empreendedorismo andarem de modo uníssono dentro de uma proposta de negócio?

Vale dizer que o futuro é feminino e empreendedor. Gosto de uma resposta que a empreendedora Bel Humberg, fundadora da plataforma OQVestir, deu em uma entrevista para a Endeavor e que responde a essa sua pergunta. Quando perguntada pela Endeavor: “O que é preciso para termos mais mulheres liderando negócios de alto crescimento no país?”. Ela respondeu: “Não existe uma resposta só. O ecossistema empreendedor inteiro está se perguntando a mesma coisa. O que nós já sabemos é que precisamos de mais referências positivas, mulheres nas quais possamos nos mirar. Nos próximos anos, se a gente conseguir responder a essa pergunta, podem ter certeza: a gente muda esse país”.

Um vídeo da polímata Alessandra Alkmim

Patrocinado por:
Sapato Site




Imprimir

Eder Fonseca

 
Diretor executivo e editor do Panorama Mercantil.