Comunicações
 
Mino Carta
Mino Carta
Mino Carta

O genovês Demetrio Giuliano Mino Carta é um dos principais nomes do jornalismo brasileiro. Carta dirigiu as equipes de criação de publicações que fizeram história na imprensa brasileira, como "Quatro Rodas", "Jornal da Tarde", "Veja", "IstoÉ" e "Carta Capital", da qual foi fundador e ainda é diretor de redação. Dos jornais que ajudou a criar, apenas um não prosperou: o Jornal da República, fundado junto com Cláudio Abramo, que foi fechado por problemas financeiros. Em 2000, lançou o livro "O Castelo de Âmbar", em que emprega sua verve num projeto literário-biográfico cuja personagem principal, Mercúcio Parla (um "homem extraordinário", segundo sua secretária Camomila), pode ser seu alter-ego e no qual relata, de modo cáustico, o que considera o relacionamento promíscuo entre governantes, jornalistas e "barões da imprensa". "Ser um barão da imprensa não é minha inspiração. Não é nem ser ético. O meu objetivo é praticar um jornalismo correto, que tenta elevar o leitor, com aquilo que eu chamo de “verdade factual”. A verdade factual, é aquela que você não pode contestar, entende? Se eu digo que o Lula foi o presidente do Brasil e no momento é a Dilma, eu estou apenas enunciando a verdade factual. (...) A bagagem cultural e intelectual dos nossos jornalistas é medíocre (friamente dito isso), enquanto Europa é Europa!", afirma o experiente jornalista ítalo-brasileiro.